Estar lá antes de ir: “Mostra Viajar”

Já imaginou que legal seria se conseguíssimos estar lá sem ir? Conferir de perto se vale a pena gastar dinheiro com este ou aquele destino? Sentir, de perto, as emoções sem de fato estar lá? Uma idéia, considerada "maluca" quando surgiu, mostrou que é possível, sim, estar lá antes de ir....

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

– Foi muito legal a sensação da neve caindo… nunca havia sentido isso antes! Estive lá antes mesmo de ir”. Maria Regina Silva, 24 anos, estudante, nunca saiu do Brasil, nunca viu neve cair. Tinha acabado de sair do Túnel das Sensações. “Foi show!” completa ela meio emocionada. 

Pantanal, Amazônia ou Foz do Iguaçu?

– Sempre tive dúvidas em viajar para o pantanal, para a Amazônia ou conhecer Foz do Iguaçu. Agora tenho uma certeza. Quero conhecer os três destinos”. Marco Aurélio Neto, 28 anos, assistente administrativo, tinha acabado de sair da Cabine Holográfica 360 graus.

Frio imaginário

– Senti muito frio, mas adorei a experiência. Fiquei imaginando como é viver em Países que vejo na televisão, com temperaturas abaixo de zero. Agora eu sei! E quero conhecer um deles”. Debora Salustiano Gouveia,18 anos, que pensa em fazer faculdade de turismo, tinha acabado de sair do Bar de Gelo.

Nada em comum, a não ser viajar

Os três não tem nada em comum. Maria Regina estuda medicina. Quer ser dentista. Marco Aurélio nunca conseguiu pagar por um curso superior. É escriturário. Débora Salustiano nem sabe direito o que quer fazer na vida. É classe média alta. Mas uma coisa une os três: a paixão por viajar.

Turbilhão de emoções

A “Mostra Viajar”, que aconteceu pela primeira vez no último final de semana(entre 29 e 31 de maio, no Parque do Ibirapuera em SP) foi a responsável por este, digamos, turbilhão de emoções. É uma debutante na área. “- Nosso objetivo é simples: levar ao consumidor final exatamente o que ele quer. Experimentar para depois viajar”. Entusiasmada, Gisele Lima, organizadora da mostra, vai além: “ queremos que cada consumidor vivencie, sensorialmente, o destino que  pretende conhecer antes mesmo de ir. Isso gera uma experiência positiva, cria desejo e provoca o consumidor a ir até lá”. 

Fui, vi e gostei!

Estive na Mostra e, mesmo já tendo visitado todos os destinos oferecidos, gostei muito da experiência de voltar virtualmente. Deu uma sensação  gostosa de reviver bons momentos, de voltar lá. Confesso que, quando recebi o convite para conhecer a mostra, pensei: mais uma feira de turismo tentando alavancar vendas em tempos de crise. Errei. Vi isso no rosto e na expressão dos visitantes. Todos saiam das atrações virtuais encantados, olhos brilhando. Uma iniciativa bem vinda em tempos de mesmice, serviços caros e relação custo benefício insólita quando se pensa em viajar pelo Brasil.
 
Voltada exclusivamente para o consumidor final

A organização do evento não dá números de pacotes comercializados. Mas, ao contrário das outras 34 feiras de turismo voltadas para o setor profissional, esta , segundo os organizadores, é a única voltada exclusivamente para o consumidor final. “Investimos mais de R$ 9 milhões de reais acreditando em uma idéia que surgiu há 3 anos. Fizemos pesquisas de mercado que apontaram para um produto inexistente até agora, afirma Gisele. “Nossos parceiros confiaram em nós e nos apoiaram. O resultado está aí. Sucesso de uma idéia considerada “maluca” por muita gente. Diziam que estávamos “viajando” no otimismo exagerado. De fato viajamos e fizemos muita gente viajar, completa ela. 

Encantamento

Mais de 11 mil pessoas visitaram a Mostra  pagando entrada de R$ 15,00 por cabeça. Para Mylene Keiko, Gerente de atendimento da Promo, empresa que realizou o evento, “foi muito bom ver o rosto de encantamento das pessoas ao viver virtualmente a experiência de viajar. Superou nossas expectativas, acho que todos saíram satisfeitos” completa ela.A abertura teve o prestígio do novo Presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, o apoio declarado do Ministério do Turismo e o reforço consistente da ABAV. Nada mal para uma feira novata lutando contra gigantes que monopolizam a área. Quem lucra com tudo isso? O consumidor final que tem uma feira dedicada para si. Voltada para aquele viajante potencial que, agora não teve recursos para conhecer tudo o que quer, mas que em breve terá, oferece algo que todos querem por um precinho bem camarada: sonho! Quem sabe a próxima edição não poderia se chamar “Mostra Sonho Viajar.“


Bar de Gelo | Crédito: Paulo Panayotis e divulgação


Descansando na rede cearense: uma experiência prática! | Crédito: Paulo Panayotis e divulgação

 


Túnel de sensações: reproduzindo o carnaval carioca | Crédito: Paulo Panayotis e divulgação

 


Gisele Lima: trabalho de um ano em 3 meses! | Crédito: Paulo Panayotis e divulgação

Paulo Panayotis