Você entende do negócio da empresa em que trabalha?

Quando o profissional não entende do negócio da empresa em que trabalha, isso pode se refletir ao longo de toda a sua trajetória na companhia. O indivíduo não sabe por que foi contratado naquele momento, por que foi promovido ao longo dos anos e, lamentavelmente, por que foi demitido. Esse fator é motivo de muita incerteza, insegurança e estresse ao longo do tempo.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Quando o profissional não entende do negócio da empresa em que trabalha, isso pode se refletir ao longo de toda a sua trajetória na companhia. O indivíduo não sabe por que foi contratado naquele momento, por que foi promovido ao longo dos anos e, lamentavelmente, por que foi demitido. Esse fator é motivo de muita incerteza, insegurança e estresse ao longo do tempo.

Ocorre que, por vezes, o profissional, ao tornar-se um especialista em sua área de atuação, dedica a ela 100% de seu tempo mental. Como resultado, não se interessa em saber as conexões de seu setor com os acontecimentos e inovações que vão pelo mundo afora. E são esses fatores que afetam a economia, o País, os mercados, sua empresa e, finalmente, sua carreira.

Para essa pessoa, a percepção é de que uma crise acontece de repente. Mas, se tivesse um olhar mais atento, poderia ter identificado sinais de que algo não estava indo bem e afetaria decisivamente sua vida no futuro.

Portanto, a solução passa por não ver a carreira somente do ponto de vista de questões técnicas e operacionais, mas de como ela está inserida no mundo dos negócios, no mundo real. Nele, para que uma renda seja obtida, algo tem de ser vendido. Portanto, é importante você saber o que sua empresa vende. E, para que essa venda seja efetivada, ou apoiada, são necessárias pessoas capazes de resolver inúmeros problemas. Sua carreira existe nesse contexto.

Portanto, os acontecimentos a que me refiro, e que afetarão sua vida profissional, são todos aqueles que interferem na venda dos produtos e serviços de sua empresa. Isso engloba desde novas tecnologias, movimentos agressivos e predatórios de concorrentes até ações dos governos locais e estrangeiros. Isso sem falar de decisões equivocadas, ou lentas, por parte dos gestores de sua companhia. Por essa razão, não considero apropriado quando pessoas se referem ao emprego como uma renda segura, pois, praticamente, nenhuma decisão relevante está em suas mãos.

Você está em um país com um governo inepto e com a pior legislação tributária do mundo, portanto, não é surpreendente estar em meio a uma grave crise. Entretanto, e lamento se for o primeiro a falar-lhe sobre isso, a crise verdadeira ainda não começou. A situação de países importantes é grave, e você precisa se interessar em saber sobre o que isso tem a ver com seu futuro. O franco suíço se valorizou, o euro está se desvalorizando e o Japão está em uma crise há três décadas. Os Estados Unidos estão falidos e, em algumas semanas, novamente estarão discutindo sobre como elevar o teto de sua dívida pública.

Essas informações somente farão sentido, se você se interessar por temas como: a história do dinheiro, dívidas públicas e tributos. E também perceber o que as novas tecnologias significam para o negócio da empresa em que você trabalha e, finalmente, sua profissão.

Comece aos poucos e nunca pare de aprender, pois esses assuntos são uma história sem fim, embora possam colocar um fim em sua carreira. Lembre-se de que pessoas que trabalharam em companhias como Varig, Kodak, Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo e Pan Am nunca pensaram que essas empresas um dia terminariam. Mas o fim delas foi terrível para muitos profissionais.

O mundo se transforma constantemente, e você é capaz de acompanhar essas transformações e se adaptar. Para isso, olhe para além de sua área de atuação e preocupe-se em compreender cada vez mais o negócio da empresa em que trabalha, como as novas tecnologias o afetam e como as ações dos governos interferem. Desse modo, terá maiores chances de se desenvolver, precaver-se e atravessar momentos de crise sem sucumbir.

Vamos em frente!

Silvio Celestino

É coach de gerentes, diretores e CEOs desde 2002. Também atende a executivos que desejam assumir esses cargos. Possui certificação e experiência internacional em coaching. Foi executivo sênior de empresas nacionais e multinacionais na área de Tecnologia da Informação. Empreendedor desde 1994.