Você corre o risco de ser demitido?

Não é nada agradável ser demitido de surpresa. É fato que algumas empresas não possuem critérios éticos para esse processo e o fazem sem nenhuma humanidade. Entretanto, refiro-me a demissões provocadas por uma contração econômica. É possível estar atento, para evitar ser surpreendido por ela.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Não é nada agradável ser demitido de surpresa. É fato que algumas empresas não possuem critérios éticos para esse processo e o fazem sem nenhuma humanidade. Entretanto, refiro-me a demissões provocadas por uma contração econômica. É possível estar atento, para evitar ser surpreendido por ela.

 É horrível perder o emprego. Ter de enfrentar o constrangimento perante a família e os amigos. Ter de lidar com o estresse provocado pela preocupação com a renda que se foi. E a situação é mais aflitiva se o padrão de vida for muito alto, ou houver dívidas a ser pagas.

 A causa que provoca a surpresa ao ser demitido é a falta de atenção a notícias relevantes para sua carreira. Em especial, aquelas que afetam a economia do Brasil, mercado no qual sua empresa está inserida e, é claro, seu cargo nela. Uma boa dica é ter o mesmo foco de atenção dos investidores nas notícias.

 Não se deixe distrair pelo período bom que porventura tenha passado, nem pela fala dos governantes. Faz parte do trabalho deles dizer que o problema não virá, ou que já passou. Os números do Brasil não vão bem. Mas a diminuição do estímulo à economia pelos Estados Unidos e dados da economia chinesa são ainda mais preocupantes. O Brasil depende muito do que acontece nesses países. Esses são exemplos de notícias às quais você deveria ficar atento, pois elas podem afetar os mercados, as empresas e sua carreira, no curto e médio prazo.

 Se os investidores estão com menos recursos e, ainda por cima, não confiam no Brasil, teremos menor quantidade de dinheiro entrando no País. Afinal, se até Dilma prefere investir nos portos de Cuba, imagine os demais investidores. Procure entender os números e o que eles dizem a respeito do futuro. Sua carreira e, em última análise, sua vida dependem deles.

 Ao identificar problemas a caminho, seja prudente. Diminua os gastos, não entre em dívidas e seja cauteloso ao mudar de emprego, pois um critério para escolher quem será demitido, em momentos de crise, é aquele funcionário com o menor tempo de casa. Portanto, se você acabou de chegar, ficará mais vulnerável à demissão.

 É claro que nem sempre é possível saber se uma demissão se aproxima. Mas estar atento às notícias e saber interpretá-las é um fator de sucesso de longo prazo em sua carreira.

 Não tenha medo das crises. Elas são inevitáveis, mas é possível precaver-se e amortecer seus efeitos, enquanto se espera uma nova fase de expansão econômica.

 O momento exige atenção de todos. Vamos em frente! 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

P.S. Notícias sobre a China: WSJ

Silvio Celestino

É coach de gerentes, diretores e CEOs desde 2002. Também atende a executivos que desejam assumir esses cargos. Possui certificação e experiência internacional em coaching. Foi executivo sênior de empresas nacionais e multinacionais na área de Tecnologia da Informação. Empreendedor desde 1994.