Para qual software você vai perder seu emprego?

Muitas pessoas não acompanham o que vai pelo mundo da tecnologia e que afeta sua profissão. Não me refiro às ferramentas que podem auxiliá-las a fazer seu trabalho, mas àquelas que podem substituí-las.Em recente entrevista, Bill Gates alertou sobre muitos indivíduos não perceberem quantos empregos serão substituídos por softwares ao longo das próximas décadas.O seu será um deles?

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Muitas pessoas não acompanham o que vai pelo mundo da tecnologia e que afeta sua profissão. Não me refiro às ferramentas que podem auxiliá-las a fazer seu trabalho, mas àquelas que podem substituí-las.

Em recente entrevista, Bill Gates alertou sobre muitos indivíduos não perceberem quantos empregos serão substituídos por softwares ao longo das próximas décadas.

O seu será um deles?

Se o profissional ainda acredita que a tecnologia é somente uma ferramenta, então não compreende as transformações que ocorrem neste exato instante.

Por exemplo, pela primeira vez o Imposto de Renda poderá ser feito por meio de um smartphone. O que isso significa? Que toda tarefa que pode ser deslocada para a rede pode ser substituída por um software. E softwares são automáticos.

Portanto, se sua profissão pode ser transformada em uma tarefa realizada pela internet e automatizada por um software, sua carreira corre perigo.

Outro exemplo: por que alguém precisará de uma central de radiotáxi, se hoje você pode localizar o veículo mais próximo, ver a avaliação do motorista e chamá-lo por meio de um aplicativo? O que ocorrerá com as pessoas que hoje trabalham em uma companhia de radiotáxi?

E se você pensa que empregos mais sofisticados, e que exigem tomadas de decisão, estão mais seguros, isso é cada vez menos verdadeiro. Lembre-se de que, em 1997, o computador Deep Blue ganhou de Garry Kasparov, então campeão mundial de xadrez. Se isso foi um grande feito naquela época, hoje há softwares capazes de simular a inteligência humana na tomada de decisões – e até superá-la em campos complexos, como logística e investimentos.

Além disso, essas tecnologias são desenvolvidas em locais tão distintos quanto Estados Unidos e países africanos: a tecnologia do celular pré-pago foi desenvolvida por uma empresa sul-africana.
A causa dessas questões é que as pessoas esperam ser informadas, principalmente pelas empresas nas quais trabalham, sobre as tecnologias que terão de usar. Elas raramente pensam que podem ser substituídas por um software. Portanto, quando isso ocorrer, serão surpreendidas.

Não espere que sua empresa seja capaz de avisá-lo com antecedência sobre esse tema. 

A única forma de precaver-se é ficar atento ao que vai pelo mundo. A tecnologia passou a ser a natureza na qual os mercados, empresas e pessoas vivem. Portanto, você deve observar companhias e organizações que produzem tecnologias e refletir se elas podem vir a substituir você. Essa é uma tarefa que deve fazer parte de sua agenda permanentemente.
O importante é que você consiga desenvolver-se nesse mundo e transformar-se continuamente.

Abrir mão do passado e abraçar o novo com a maior velocidade possível. 

Afinal, mais importante que ser bem-sucedido hoje, é ser bem-sucedido sempre.

Vamos em frente!

Silvio Celestino

É coach de gerentes, diretores e CEOs desde 2002. Também atende a executivos que desejam assumir esses cargos. Possui certificação e experiência internacional em coaching. Foi executivo sênior de empresas nacionais e multinacionais na área de Tecnologia da Informação. Empreendedor desde 1994.