E se faltar água para sua carreira daqui a dez anos?

Observo, em São Paulo, a falta de água, a queda de árvores durante as chuvas e a incapacidade da companhia de energia de restabelecer a luz em tempo minimamente razoável e pergunto: quem, de fato, neste país, está debruçado na solução de problemas verdadeiramente relevantes?

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Observo, em São Paulo, a falta de água, a queda de árvores durante as chuvas e a incapacidade da companhia de energia de restabelecer a luz em tempo minimamente razoável e pergunto: quem, de fato, neste país, está debruçado na solução de problemas verdadeiramente relevantes?

Não é apenas o poder público, mas nós também, em nossas profissões. Se não focalizarmos e dedicarmos tempo ao que nos afetará dentro de um, cinco ou dez anos, quando o momento chegar, nada poderemos fazer. Isso deveria nos causar incômodo, reflexão e ação. Entretanto, a maioria vive como se os problemas do amanhã não fossem acontecer e, portanto, vê com indiferença indicadores que alertam que algo afetará negativamente seu futuro.

A causa disso está no excesso de atenção a eventos sem importância e na incapacidade de compreender números e o que eles dizem.

A solução passa por definir quais eventos colocam em risco nossa carreira e quais as precauções que temos de tomar para criar alternativas.

Você lê notícias? Quais? Como essas informações afetarão sua carreira nos próximos anos?

Uma pessoa que não compreende o que os números dizem somente faz algo a respeito de um evento quando ele se torna visível para ela. É o caso daquele profissional que não entende que uma nova tecnologia colocou em risco o seu setor. Em um primeiro momento, nada o afeta. Então, as vendas começam a diminuir, mas ele não se preocupa com isso, pois seu salário não diminuiu. Vê pessoas em empresas concorrentes e em fornecedores serem demitidas. Mas isso não é com ele. Até que a demissão o atinge e, ingenuamente, ele acha que conseguirá emprego em outro lugar, sem perceber que os números mostram que sua área de atuação acabou.

Qualquer que seja a solução, já é tarde para ser implementada. Ele passará por dias difíceis.

O mundo se transforma continuamente, você deveria fazer o mesmo com sua carreira.

Olhe e compreenda os números a respeito do mundo, do seu país, mercado e empresa. Eles dizem muito sobre o futuro. E é para lá que você se dirige.

Não importa se eles falam bem ou mal de seu futuro, o importante é que você, o quanto antes, conheça a realidade e aja!

Afinal, seu sucesso deve ocorrer hoje e sempre!

Silvio Celestino

É coach de gerentes, diretores e CEOs desde 2002. Também atende a executivos que desejam assumir esses cargos. Possui certificação e experiência internacional em coaching. Foi executivo sênior de empresas nacionais e multinacionais na área de Tecnologia da Informação. Empreendedor desde 1994.