A difícil arte da delegação

Recentemente, Bill Gates descreveu Warren Buffet como alguém grande em delegação. Isso ocorreu ao falar sobre o momento no qual Buffet decidiu passar sua fortuna para a Fundação Bill e Melinda Gates.Se você deseja alcançar postos cada vez maiores, também deve preocupar-se em dominar a delegação.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Recentemente, Bill Gates descreveu Warren Buffet como alguém grande em delegação. Isso ocorreu ao falar sobre o momento no qual Buffet decidiu passar sua fortuna para a Fundação Bill e Melinda Gates.

Se você deseja alcançar postos cada vez maiores, também deve preocupar-se em dominar a delegação.

Em geral, indivíduos muito inteligentes e técnicos possuem grande dificuldade em delegar as operações que estão sob sua responsabilidade.

Quando são alçados a cargos gerenciais, tornam-se centralizadores e, em vez de desenvolver outras pessoas para fazer suas tarefas anteriores, acabam sobrecarregados com trabalhos operacionais. Isso causa muito desgaste, estresse e uma irritação permanente do gestor com seus liderados.

A causa desse problema está não só no desconhecimento de métodos para delegação, como também na insegurança do indivíduo em abrir mão de seu conhecimento técnico e evoluir como um gestor capaz de selecionar, desenvolver e avaliar pessoas.

Delegação exige que aquele que saiba fazer uma determinada tarefa seja capaz de organizá-la de maneira a ser transmitida para outra pessoa. Para isso, deverá esclarecer quais são todos os recursos que precisam estar à disposição de quem for fazer a tarefa. Também comunicar a mecânica, isto é, a sequência de ações para que ela seja executada.

Mas um elemento fundamental, normalmente esquecido no momento da delegação, é o modelo mental requerido para fazer a tarefa. Isto é, o que você, que está delegando, pensa no momento em que faz a tarefa?

Se você não esclarecer como pensa ao fazer o trabalho, viverá a sensação de que vive rodeado de pessoas que não são muito inteligentes. Isso porque, quando você faz a tarefa, dá tudo certo. Mas, quando outra pessoa faz, dá errado!

Portanto, delegar é um momento fundamental de criação de conhecimento relevante para a companhia. Todo conhecimento que está somente na cabeça de uma pessoa coloca em risco a operação e o futuro da empresa.

Quanto mais elevado for o cargo da pessoa que retém esse conhecimento, maior será o risco de a empresa passar por uma séria crise, caso ela saia da companhia, ou sofra um acidente, por exemplo.

Nossa cultura empresarial ainda valoriza muito a intuição e despreza métodos. Entretanto, você não pode ensinar intuição. Não é por acaso que países como Estados Unidos e Alemanha dão profunda atenção à criação e ao aperfeiçoamento dos melhores métodos para fazer qualquer coisa. Porque eles podem ser transmitidos, treinados e aprendidos por muitos, e é isso que possibilita às organizações crescer.

Em sua carreira, não negligencie o aperfeiçoamento de sua capacidade de delegar. Ela é fundamental para que você possa ser promovido a cargos cada vez maiores.

Vamos em frente!

Silvio Celestino

É coach de gerentes, diretores e CEOs desde 2002. Também atende a executivos que desejam assumir esses cargos. Possui certificação e experiência internacional em coaching. Foi executivo sênior de empresas nacionais e multinacionais na área de Tecnologia da Informação. Empreendedor desde 1994.