Não tem preço. Ou será que tem?

Entre as muitas coberturas disponíveis para o seguro viagem, entenda como deixar sua bagagem segura.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Chegou a hora de colocar o pé na estrada e, como cantaria Milton Nascimento, “qualquer dia a gente se vê”. Passagens, hospedagem, pontos turísticos ou deslocamentos para o local de trabalho, já está tudo pronto. Mas você está prevenido para qualquer eventualidade? Não importa se sua viagem é de turismo ou lazer, sempre há alguma bagagem.

Uma camiseta de estimação, um relatório sem cópia, uma lembrança que você trouxe para alguém especial… Você guardou tudo isso, e muito mais, na sua mala, confiando que ela seria transportada com todo o cuidado e segurança. Mas ninguém está livre de um acidente, de um imprevisto.

Lembram da função de um seguro? Restabelecer o equilíbrio econômico, por meio de indenização monetária, quando o risco se materializa. Pois se para nós o valor de muitas coisas é subjetivo, até intangível, na verdade – e na prática – tudo tem um preço. Inclusive nossa bagagem.

Entre as muitas coberturas possíveis de um seguro viagem, há as específicas para as nossas ‘trouxinhas’. A primeira delas prevê indenização nos casos de extravio, roubo, furto ou destruição da bagagem (exceto bagagem de mão), desde que esteja sob responsabilidade da transportadora. Nesse caso, o segurado é indenizado pelo peso e não pelo conteúdo de malas e pacotes.

Outra cobertura prevê indenização para os danos causados à mala pela transportadora. Por fim, existe a Localização de Bagagem, em que a seguradora se encarrega de localizar e restituir a bagagem ao segurado.

Em todos os casos de seguros de viagem, as garantias são válidas apenas no período compreendido entre a data inicial da viagem e a data do último desembarque, ou seja, o dia em que você chega em casa. Mas o prazo da viagem é definido na contratação do seguro. Isso significa que, se você mudar os planos e resolver estender sua viagem, você não estará coberto.

Também é fundamental ler sua apólice com todo o cuidado e entender quais são os riscos excluídos pelo seguro que está contratando e quais as regras a seguir para que você não jogue dinheiro fora. Em resumo, previna-se e seja muito atento. Só assim você não deixará a lembrança de sua viagem entrar para a história como uma mala sem alça!

Semana que vem falaremos mais sobre seguro viagem. Até lá!

Rafael Monsores