É possível investir em fundos imobiliários com pouco dinheiro?

Será que você realmente precisa de muito capital para investir em fundos imobiliários e começar a receber aluguéis todos os meses?

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
Moeda Nacional, Real, Dinheiro, notas de real, salário
Notas de Real (Marcelo Casal Jr / Agencia Brasil)

Quando você está iniciando no mundo dos investimentos, é comum escutar de outras pessoas que, para poder investir e ter resultados reais, você precisa ter bastante dinheiro.

Esse é um mito que, infelizmente, continua sendo propagado. Então, vamos entender o porquê essa afirmação não é verdadeira e, claro, daremos foco em fundos imobiliários.

Antigamente, os fundos imobiliários eram negociados na casa dos R$ 1.000,00 por cota — um valor inacessível para muitos —, mas, hoje, a maioria dos fundos imobiliários é negociada entre R$ 80,00 e R$ 120,00, que já é um valor acessível para um investidor comprar uma ou mais cotas mensalmente.

Porém, estamos observando um movimento na indústria onde novos ativos estão sendo listados na casa dos R$ 10,00 ou alguns FIIs já existentes estão desdobrando as suas cotas para esse patamar. Atualmente, possuímos cerca de uma dúzia nesse patamar.

O desdobramento é um mecanismo para aumentar o número de cotas de um fundo e reduzir seu valor unitário, mas mantendo o mesmo valor total de patrimônio. Por exemplo, em vez de você ter uma cota de R$ 100,00, você passa a ter dez cotas de R$ 10,00.

Consequentemente, esses fundos imobiliários com valores mais baixos se beneficiam de duas formas: acessibilidade e liquidez.

Acessibilidade: os investidores ganham mais opções de FIIs com um valor de acesso menor, o que também ajuda os iniciantes a fazer aquele primeiro investimento para começar a se acostumar com a dinâmica dos fundos imobiliários.

Além disso, isso permite a possibilidade de reinvestimento mais rápido. Antes, era necessário ter, aproximadamente, R$ 100,00 de rendimentos para que fosse possível comprar uma nova cota sem a necessidade de aportar dinheiro novo. Porém, agora é possível fazer isso a partir dos R$ 10,00, o que ajudará a acelerar seus resultados com os juros compostos.

Liquidez: com a redução do valor nominal da cota e aumento da quantidade delas, o fundo imobiliário torna-se mais líquido. Em outras palavras, isso faz com que seja mais fácil comprar e vender as cotas.

Entretanto, essa dinâmica de uma cota mais baixa afeta os rendimentos. Você pode ter notado que os rendimentos dos FIIs de R$ 10,00 são inferiores aos de R$ 100,00.

Isso quer dizer que eles são piores? Não necessariamente.

Aqui entramos em outro ponto do porquê os investimentos não são apenas para quem já tem muito dinheiro. O valor nominal das cotas não determina se o FII é um bom pagador de rendimentos ou não, pois, tudo é proporcional.

Pense da seguinte forma, se um FII de R$ 10,00 paga R$0,07 de rendimentos e um de R$ 100,00 paga R$ 0,70, eles possuem o mesmo retorno de 0,70% sobre o capital aplicado.

Portanto, uma pessoa com muito dinheiro e outra com pouco podem ter as mesmas rentabilidades, proporcionalmente falando.

Sendo assim, você conseguirá ter um resultado baseado no seu próprio empenho em aportar e reinvestir, ou seja, quanto mais investir, mais receberá proporcionalmente. Além disso, boas escolhas e uma estratégia bem definida podem incrementar seus ganhos.

Indo além, se você esperar muito para começar a investir, você perderá um tempo valioso.

O juro composto é uma força que potencializa os seus resultados, permitindo que pequenos investimentos gerem grandes retornos no futuro. E, uma das variáveis mais importantes dessa fórmula é o fator tempo.

Fazendo uma simulação sintética: uma pessoa que investe R$ 1 mil por mês por 20 anos com um retorno de 10% ao ano, terá R$ 718,2 mil ao final do período. Se um investidor com um poder de aporte inferior, digamos R$ 500,00, começasse dez anos mais cedo, ele teria cerca de R$ 1 milhão.

Note como o segundo investidor aplicou menos dinheiro mensalmente, todavia, por ter começado antes, teve um resultado superior ao primeiro que investiu mais por mês.

Isso sem considerar que é interessante que o investidor também se dedique em aumentar a sua capacidade de aportes mensais, buscando potencializar seus resultados futuros.

Os investimentos em fundos imobiliários são muito democráticos. Pense nisto.

Para concluirmos: comece o quanto antes, invista com consistência, disciplina e com foco na perpetuidade. No início, pode parecer que o crescimento esteja lento, mas, você notará que, pouco a pouco, o ritmo aumentará até atingir a sua velocidade de cruzeiro.

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Professor Baroni

Marcos Baroni, professor há 24 anos, graduado na área de Tecnologia da Informação e pós graduado em Educação. Investe no mercado financeiro desde o início de sua carreira e, há cerca de 12 anos, leva conhecimento por várias cidades do Brasil sobre Fundos Imobiliários. Co-autor dos Livros Guia Suno FIIs e 101 Perguntas e Respostas sobre FIIs, Analista CNPI, Consultor CVM e Sócio da Suno Research.