O QUE ME MOTIVOU A ESCREVER UM BLOG NO INFOMONEY?

Novo mundo, novos negócios, informações em segundos, oportunidades batendo a porta. Aonde você quer estar? #PRACIMADELES

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Olá Pessoal, tudo bem? 

Um enorme prazer estar aqui no InfoMoney pela primeira vez. Me lembro quando o IM era apenas um site de notícias de bolsa de valores. E me orgulho ao vê-lo como um dos maiores portais de notícias do mundo. Isso, num prazo curtíssimo de tempo, no máximo em 5 anos, tudo aconteceu.

O mundo de hoje é isso. Transformação e evolução andando juntos, numa rapidez muitas vezes difícil de acompanhar. Mas é aí que surgem as grandes oportunidades. Quem corre mais, ou tem melhor capacidade de adaptação, tende a surfar a melhor onda. É aí que temos que estar atentos, como um goleiro que quer defender um pênalti ou como um tenista tentando fechar um match point. Olhos de tigre, porque sempre tem uma oportunidade batendo na sua porta.

Minha carreira foi construída dentro do mercado financeiro, aonde sempre busquei capturar as melhores oportunidades. Comecei cedo, aos 19 anos, quando fui convidado para estagiar no banco francês Crédit Commercial de France. Por lá fiquei cerca de 7 anos, e me tornei um operador de câmbio aplicado. Depois, rumei para a corretora Hedging Griffo, onde estruturei o trading desk e fui gestor de fundos de ações por quase 10 anos. Por fim, quando já estava desistindo do mercado, entrei na XP Investimentos para estruturar o Private Banking de uma empresa que até então era focada no varejo, e onde permaneci por 4 anos. 

Foi tudo lindo, maravilhoso? Claro que não….toda vez que cheguei ao topo, tomei grandes tombos. E com eles, fui me tornando um cara mais experiente, mais cascudo. E é isso que sempre tento compartilhar com os mais jovens. Ou com os mais velhos, interessados em evoluir. Temos que ser protagonistas de nossas vidas.

A pergunta que eu sempre fiz foi: Como eu vou saber quais eram realmente as melhores oportunidades de mercado a cada momento? Sempre foi um achismo gigante. Não tinha como saber. A previsibilidade que eu tinha sempre foi matemática, e para tanto, para obter as maiores chaces de sucesso, sempre tentei estudar mais, me relacionar mais, trabalhar mais horas dia, e assim por diante.

No nosso Brasil, vivemos de grandes ciclos de euforia e tristeza. São anos de expansão, e anos de retração. Pelo menos, para quem tem mais de 40 anos, como eu, é muito fácil enxergar ciclos nesse formato desde a década de 70. E nosso País, sempre teve esse modelo de trabalho árduo para seus habitantes. Aqui no Brazilzão, não tem moleza, então a melhor coisa a fazer é sempre agir, movimentar, ampliar.

Espero estar compartilhando com vocês, tudo que estou vendo aí fora, nas minhas experiências pessoais, no campo empreendedor ou corporativo. Entender porque meu filho de 3 anos, já sabe mexer num smartphone, aessar o Spotify, o YouTube e o Netflix. Se eu não souber, vou ficar para trás. Isso não vai acontecer.

Um abraço, Giulianno #PraCimaDeles #TamoJunto

 

Giulianno Perri