O inquérito das fake news no plenário do STF

Hoje há pouco espaço para a suspensão do inquérito e haverá menos disposição dos ministros para críticas à condução feita por Alexandre de Moraes

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
Justiça Brasileira STF
(Adrian Ace Williams/Archive Photos/Getty Images)

A decisão sobre o melhor momento para o plenário do Supremo Tribunal Federal discutir eventual suspensão do inquérito que apura ataques contra a Corte deve aguardar o retorno do presidente, ministro Dias Toffoli. Ele está afastado em licença médica e só deve voltar na semana que vem.

Hoje, o ministro Edson Fachin reforçou que está liberado para julgamento pelo colegiado o processo que trata dos limites e da legalidade do inquérito, incluindo o pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, de suspender o caso.

De acordo com o clima de hoje nos bastidores do STF, há pouco espaço para a suspensão do inquérito e haverá menos disposição para críticas à condução feita por Alexandre de Moraes.

PUBLICIDADE

A tensão entre Planalto e STF está nas alturas depois das buscas e apreensões contra empresários, ativistas e blogueiros que defendem o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os ministros têm conversado entre si e uma das possibilidades é reunir em um único julgamento as ações que contestam as condutas adotadas na investigação.

XP Política