Grupo do Senado ameaça atrasar Previdência por insatisfação com cessão onerosa

O líder do PSD, Otto Alencar, diz que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, descumpriu um acordo feito para a votação da reforma da Previdência

Davi Alcolumbre e Otto Alencar
Davi Alcolumbre e Otto Alencar Crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

POR XP POLÍTICA

A promulgação de apenas parte da PEC da cessão onerosa desagradou a senadores. O líder do PSD, Otto Alencar, diz que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, descumpriu um acordo feito para a votação da reforma da Previdência -que medidas do chamado pacto federativo, de repartição de recursos com estados e municípios, fossem aprovadas.

PUBLICIDADE

Por conta disso, o senador do PSD organiza, principalmente com parlamentares do Nordeste, a tentativa de adiamento da votação da reforma da Previdência na próxima semana.

Ele tentará obstruir a análise da PEC da Previdência até que tenha indicativos concretos de avanços nas pautas do pacto federativo, como a cessão onerosa.

O PSD tem nove senadores, atrás apenas do MDB (13) e do Podemos (11).

Ontem (26), após o anúncio do acordo e do fatiamento, Otto buscou o presidente do Senado para receber explicações sobre o motivo de haver um fatiamento da PEC da cessão onerosa.

Davi enviou uma carta justificando a promulgação: “Asseguro, conforme acordo firmado com o Presidente da Câmara, na presença do Ministro da Economia, que a distribuição dos valores entre com os demais entes da federação está assegurado e sua aprovação em PEC que continuará a tramitar na Câmara dos Deputados terá a celeridade máxima”.

O presidente do Senado completou: “Volto a firmar o compromisso quanto à distribuição dos recursos para estados e municípios e me desculpo quanto à decisão de promulgar a PEC sem realizar uma consulta mais ampla”. O documento foi encaminhado a governadores que também ficaram preocupados com a promulgação em partes da emenda constitucional.

PUBLICIDADE

O cronograma do Senado prevê a votação da reforma da Previdência a partir da próxima terça-feira (1º). Os senadores mais envolvidos com a pauta de ajuda aos estados buscam com Davi Alcolumbre e com Rodrigo Maia garantias de não haver mudanças significativas na distribuição de recursos da cessão onerosa durante a tramitação na Câmara e uma votação rápida na Casa.

Quer saber o que esperar da política nos próximos meses? Insira seu e-mail abaixo e receba, com exclusividade, o Barômetro do Poder – um resumo das projeções dos principais analistas políticos do país:

XP Política

Leia também