Fechar Ads

O que é bom? O que é ruim?

Argentina bom, China ruim. Não, espera...
Por  Alexandre Aagesen -
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Eu sempre tive uma política pessoal contrária à exercícios físicos. Essa coisa de tentar se manter saudável é claramente uma armadilha. Na sexta-feira, o meu xará Aleksei (Navalny) saiu para uma caminhada. Péssima ideia! Acabou passando mal e veio a falecer. Alguns podem dizer que ele foi assassinado, já que era o principal opositor político de Putin; e que estamos a semanas das “eleições” presidenciais; e que ele estava preso na Sibéria. Outros podem até pontuar a frequência de “acidentes” que os desafetos de Putin sofrem. Mas longe de mim querer me pronunciar antes de todas as investigações transparentes que o país vai conduzir, claro. Melhor me pronunciar de improviso sobre outras guerras mundiais. Bom, de qualquer forma, não dá para acusar o Putin de ser excessivamente sutil.

Ainda na semana passada, a MSCI informou que, a partir de agosto de 2024, vai mudar algumas regras nos seus índices. Por exemplo, o MSCI Brazil Index (ETF EWZ) vai poder receber em sua composição empresas brasileiras que tenham optado por abrir seu capital em bolsas fora do país de origem. Alguns analistas estimam um influxo de até US$ 4 bilhões para empresas como Nubank, XP Inc, PagSeguro e Stone (não é uma recomendação de investimento). Outro ponto de mudança é que o Brasil vai ganhar espaço no índice de Emerging Markets da MSCI (ETF IEMG). Exercícios, ruim. MSCI, bom.

Agora vamos ao nosso giro rápido: sexta saiu PPI, também na Lua. Se você lembrar, até novembro, o mercado esperava corte do Fomc só em maio ou junho. Em dezembro, puxaram para março, depois de um dos (perigosos) discursos improvisados do Powell. Em janeiro, voltaram para maio/junho depois do tom mais duro – e de dados econômicos. Hoje é feriado lá fora e, quarta-feira, a gente vai ficar de olho na ata do último Fomc, para ter mais um pouco de clareza (ou volatilidade). Agora pela manhã saiu o IBC-Br, acima das expectativas: 0,82% no mês (de dezembro). Devemos ver um PIB bem positivo ainda no último trimestre do ano passado. Outro dado positivo veio da Argentina (raridade): primeiro superávit fiscal mensal em 12 anos. E, do outro lado da moeda (e do mundo), China voltando do feriadão com minério de ferro derretendo (mas ainda ao redor de US$ 130 por tonelada). Argentina bom, China ruim. Não, pera…

Ficou com alguma dúvida ou comentário? Me manda um e-mail aqui.

Alexandre Aagesen Com mais de 15 anos de mercado financeiro, é CFA Charterholder, autor do livro "Formação para Bancários", host do podcast "Mercado Aberto" e Investor na XP Investimentos

Compartilhe

Mais de One Page

One Page

Barril de Pólvora

John Nash ganharia mais um prêmio Nobel, estudando todos os equilíbrios (e desequilíbrios) que estamos vivenciando agora.