I’m a Survivor

Fome, Pestilência, Guerra...
Por  Alexandre Aagesen
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

O Faria Limer – cidadão de bem, jogador de beach, fumador de vape, de colete e patinete – não tem um dia de paz. Para coroar uma sequência de dias apocalípticos, depois da Fome (inflação) e da Pestilência (não o Powell, claro), chegou a Guerra (guerra mesmo, no caso). Escalada no Oriente Médio, a cereja do bolo. Sabem qual é o quarto cavaleiro, que estamos esperando agora, certo? Bom, como disse Damodaran “uncertainty is a feature, not a bug”.

Aliás, ontem eu fui em um jantar com ele mesmo, Aswath Damodaran, num evento de 20 anos do CFA Society Brazil. O cara subiu no palco, falou mal da Apple, de Valuation, de Finance, de Story Telling, do Buffett, do próprio CFA, da Coca Cola, oil companies, tech companies e do livro que ele mesmo escreveu. Uma boa palestra. Entendo o mau humor, posto que ele trabalha com o mercado e estava na terra da expansão fiscal. Welcome to Brazil – Terra do Macro. Favor deixar análises Micro na entrada.

Mas lá fora tem análise micro ainda. Particularmente de microprocessadores. TMSC surpreendeu – sem surpresas – para cima. A César o que é de César. Não é recomendação de investimento, mas que a TSMC está consolidada como a vendedora de pá da corrida do ouro da AI, parece justo dizer. Bom, pelo menos por enquanto.

Ficou com alguma dúvida ou comentário? Me manda um e-mail aqui.

Alexandre Aagesen Com mais de 15 anos de mercado financeiro, é CFA Charterholder, autor do livro "Formação para Bancários", host do podcast "Mercado Aberto" e Investor na XP Investimentos

Compartilhe

Mais de One Page

One Page

Concordar em discordar

E chegou a tão esperada ata. Nada foi dito sobre política, claro, e o que foi avaliado foi apenas se vale a ou não quebrar a expectativa do mercado. Quatro membros achavam que o ritmo de corte impacta menos que a taxa terminal nas expectativas, e que valia mais manter o guidance da última ata. […]
One Page

1984

“O que tem no quarto 101?” A expressão do rosto de O’Brien não de modificou. Respondeu secamente: “Você sabe o que tem no quarto 101, Winston. Todo mundo sabe o que tem no quarto 101”.Assim escreveu George, em 1948, sobre um futuro distante que já passou há exatos 40 anos, e mesmo assim segue tão […]