A Super-Quarta da Inflação

Olho no CPI. E no CPI. Tem o CPI também
Por  Alexandre Aagesen -
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Existem dois tipos de pessoas no mundo: as que sabem que seus próximos meses serão amplamente impactados pelo CPI de hoje e as que serão impactadas, mas não sabem. Existem dois tipos de pessoas no mundo: as que acham que inflação é um crescimento generalizado dos produtos e as que sabem que, na verdade, é a queda do valor da moeda em si. Há registros que, em 301 d.C., o imperador romano Diocleciano teria imposto um teto ao preço de centenas de mercadorias devido à “ganância (…) que delira e arde e não impõe limites a si mesma”. Pouco depois, ele cai e o imperador Constantino assume o trono. Deve ser coincidência, claro. Bem, existem dois tipos de pessoas no mundo. Evite ambos.

Mas nem só de CPI vive o mercado. Hoje também tem o CPI… da China. E o CPI… do Brasil – digo, IPCA. A China ainda pode fazer algum preço, já o Brasil vai ser bem difícil. Mas pode ser, vale acompanhar, claro. E, amanhã, tem decisão de política monetária na Zona do Euro. A expectativa é de manutenção agora, com corte só na próxima, em junho, mas já tem espaço para surpresa – ou, no mínimo, uma mudança de tom. Vai Lagarde, ajuda aí, só para gente fazer um teste aqui.

E, por fim, um fim, finalmente. Um ponto final na finalidade que o governo tem em relação à finalização do emprego do Prates. Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, estou pronto! Digam ao povo que ele fica. Pelo menos por enquanto, claro. Nada escrito em pedra. Afinal, qualquer influencer vai te dizer que você não é CEO da Petrobras, você está CEO da Petrobras e seu crachá é emprestado. Enfim, um fim (com reticências). O ponto alto, para mim, foi o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, finalizando com o atestado de ruído: “Que a Petrobras tenha um pouco de paz para continuar ganhando valor de mercado”. Achei o tom lúgubre. Quase um tom de engorda para o abate. Mas deve ter sido impressão minha, claro.

Ficou com alguma dúvida ou comentário? Me manda um e-mail aqui.

Compartilhe

Mais de One Page

One Page

Concordar em discordar

E chegou a tão esperada ata. Nada foi dito sobre política, claro, e o que foi avaliado foi apenas se vale a ou não quebrar a expectativa do mercado. Quatro membros achavam que o ritmo de corte impacta menos que a taxa terminal nas expectativas, e que valia mais manter o guidance da última ata. […]
One Page

1984

“O que tem no quarto 101?” A expressão do rosto de O’Brien não de modificou. Respondeu secamente: “Você sabe o que tem no quarto 101, Winston. Todo mundo sabe o que tem no quarto 101”.Assim escreveu George, em 1948, sobre um futuro distante que já passou há exatos 40 anos, e mesmo assim segue tão […]