Fechar Ads

A culpa é do Estagiário

Nos últimos dias tivemos várias confusões no mercado. E, como sempre, temos um favorito para colocar a culpa
Por  Alexandre Aagesen -
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Não tenho nada contra estagiários. Até tenho amigos que são. Quem me conhece, sabe (e todas mais desculpas de sempre). Mas gosto de pensar que essa entidade do mercado, é sumariamente responsável por tudo que há de ruim. Lembra da Light? Claro que lembra, deu (e ainda dá) dor de cabeça para metade do mercado desde que tirou uma RJ da cartola. Pois é, ontem, por um erro (e gosto de pensar que foi o estagiário), uma das emissões pagou um vencimento de juros. No meio de uma RJ. Para piorar, pediu o dinheiro de volta (a tal “Errata”). Que situação. Me lembra o (de novo, gosto de pensar que foi o) estagiário que fez a apresentação do CFO da Lyft, e colocou um zero a mais no nível de crescimento da cia no resultado trimestral. Dessa vez coube ao próprio CFO soltar a errada. Não eram 500 bps, mas apenas 50bps. De novo, que situação.

Para hoje temos uma série de ruídos que podem trazer volatilidade para o mercado. Haddad, Galípolo e nada menos que 3 diretores do Fed falam hoje. Tenho certeza de que cada um vai falar numa direção diferente. Aposto que o mesmo estagiário escreveu os 5 discursos, por isso, vale esperar qualquer coisa. Temos também divulgação do PPI (inflação ao produtor nos EUA) e já tivemos o IGP-10 por aqui agora cedo, prévia da inflação ao produtor: aqui, -0,65%, bastante abaixo das expectativas. Ainda em inflação, a Universidade de Michigan (olha aí o estagiário de novo) divulga as prévias de 1 e de 5 anos de inflação nos EUA.

Vale ainda ficar de olho na ultrapassagem do Japão feito pela Alemanha (agora terceira maior economia do mundo) depois da confirmação da recessão japonesa e da queda do Yen. Vale lembrar que nas décadas de 1980 e 1990, o Japão (então a segunda maior economia do mundo) era aposta para ultrapassar os EUA “nos próximos anos”. De lá para cá, China (e agora Alemanha) ultrapassou em tamanho de PIB e é aposta para ultrapassar também os EUA. Será que agora vai, ou daqui 40 anos vamos ter essa conversa de novo sobre a Índia?

Ficou com alguma dúvida ou comentário? Me manda um e-mail aqui.

Alexandre Aagesen Com mais de 15 anos de mercado financeiro, é CFA Charterholder, autor do livro "Formação para Bancários", host do podcast "Mercado Aberto" e Investor na XP Investimentos

Compartilhe

Mais de One Page

One Page

Barril de Pólvora

John Nash ganharia mais um prêmio Nobel, estudando todos os equilíbrios (e desequilíbrios) que estamos vivenciando agora.