Coisas para se lembrar com a história da OGX no Ibovespa

Analisa o que faz as ações da OGX serem tão voláteis e alerta para que a exclusão do índice Bovespa de ações nesta situação especial possa colaborar para o uso da Bolsa por pequenos investidores

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Na semana que passou ocorreu uma revisão de preços alvo para a ação OGXP3, da OGX Petróleo e Gás Participações. Os preços alvo das corretoras experimentaram quedas expressivas no espaço de 2 anos: variam entre 80% a 95% de redução no preço alvo. Os novos preços alvo, revisados na semana que passou, também divergem bastante: desde R$ 8,40 até R$ 1/ação! (quanta incerteza…)

Duas coisas são interessantes a se analisar nesse caso que não deve deixar de ser lembrado: 1) o que faz ocorrer tamanha revisão de preço alvo por parte dos analistas e 2) se essa empresa pode ser usada como meio de acumular recursos para uso num longo prazo para o investidor

1ª coisa que ser lembrada: o que faz ocorrer tamanha revisão de preço alvo por parte dos analistas

a) Brutal revisão da projeção de capacidade de produção da OGX: empresas que iniciam a exploração de recursos naturais em áreas novas carregam uma incerteza enorme no preço de suas ações pelo fato de que a capacidade de produção ser difícil de prever. Na semana passada, a OGX divulgou sua produção de fevereiro e ela veio abaixo do que era esperado e isto ocasionou desconfiança sobre o potencial das reservas da empresa.

b) Possível necessidade de uma nova oferta de ações: a brutal revisão da projeção de capacidade apontou uma esperada falta de caixa que acendeu a luz amarela para uma possível oferta de novas ações. Outra coisa difícil de prever será qual o preço da ação que os novos acionistas, cientes da desconfortável situação de caixa da OGX, vão exigir para entrar e recompor o caixa e a capacidade de investimento da empresa.

2ª coisa que ser lembrada: Empresa na situação da OGX pode ser usada como meio de acumular recursos para uso num longo prazo para o investidor?

Empresas que não podem ter seus fluxos de caixa projetados numa boa base estão expostas a essas brutais revisões e fazem com que as oscilações sejam relevantes na carteira dos investidores. A queda das ações da OGX foi de aproximadamente 85% desde março de 2012 contra aproximada queda de 15% do índice e seus fluxos não podem ser estimados numa boa base, fazendo com que os analistas usem o método do múltiplo de capacidade para se chegar ao preço justo.

Um investidor que pretende utilizar o mercado de ações para obter uma rentabilidade melhor com seus investimentos de longo prazo o faz pela natural dificuldade de selecionar ações individuais, vindo daí o benefício da diversificação dos investimentos em fundos de ações espelhados em índices. A OGX tem uma participação na carteira teórica do Ibovespa para o quadrimestre de janeiro a abril de 2013 de impressionantes 5,02% (é a 3ª que mais pesa no índice…) e isso merece uma reflexão.

O Índice Bovespa é uma referência para os fundos que administram recursos de pequenos investidores que buscam diversificação para o longo prazo e a exposição deste índice a uma empresa com as características da OGX faz com que quedas abruptas como as vistas recentemente afetem bastante as aplicações destes que confiaram no índice buscando a diversificação difícil de se fazer individualmente. Cito como exemplos aqueles que confiaram nos fundo de índice ETF que acompanha o Ibovespa (BOVA11) e os cotistas de fundos de aposentadoria em renda variável que buscam como referência o Índice Bovespa.

A BM&FBovespa menciona que o índice tem credibilidade por não sofrer modificação metodológica desde 1968 mas já excluiu ações por “situação especial” não faz muito tempo (por exemplo Telebrás e Agrenco).

Me pergunto se não era para excluir empresas que tenham tantas incertezas em seus fluxos de caixa projetados pela situação especial em que se encontrava a OGX. Isto para preservar a credibilidade de que os fundos de índices possam ser usados por pequenos investidores e fundos de aposentadoria. Acredito que era para excluir a OGX.

Ricardo José de Almeida

Leia também