VENDENDO MENOS, FATURANDO MAIS!

Desempenho do setor de automóveis e comercias leves no período de janeiro a setembro deste ano.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

As vendas de veículos no mês de setembro encerraram com perdas de 6% sobre o mês de agosto. Tivemos, neste mês, um total de 293,8 mil veículos vendidos, contra 312,5 mil do mês passado. Apesar desta retração, o setor interrompeu uma série negativa de três quedas consecutivas, e registrou crescimento de 6,3% (comparando,  em setembro de 2012 tivemos 276,4 mil unidades vendidas).

Mesmo assim, no acumulado deste ano temos 2,636 milhões de veículos vendidos contra 2,644 milhões sobre o mesmo período do ano passado. Retração de 1,07%.

Como estamos comentando – desde o ano passado – o setor automotivo irá encerrar o ano com queda nas vendas de aproximadamente -2%.

Se formos devotos de Santo Expedito (o Padroeiro das causas impossíveis), para o setor empatar o resultado deste ano, deverá vender nos próximos três meses a bagatela de 1 milhão de veículos; ou a singela marca de 333 mil carros por mês, no período de outubro a dezembro. Como a nossa média atual é de 293 mil carros/mês e o nosso melhor resultado foi de 324 mil veículos (julho), teremos que rezar muito….

Mas a situação não é tão dramática assim: Considerando que neste ano, o setor venderá menos carros do que o ano passado,  não implicará necessariamente em perdas. De fato, o setor encerrou o acumulado deste ano com crescimento no seu faturamento. Assim, estimamos que foram vendidos mais de R$ 116,83 bilhões em carros, contra R$ 116,25 bilhões sobre o mesmo período do ano passado, ou seja, o setor está com um superávit de R$ 500 milhões.

O grande ponto que explica esse aumento no faturamento foi uma maior procura por carros maiores e/ou melhores, veículos esses – em geral – mais caros. De fato, neste ano, o consumidor brasileiro está comprando carros – em média – R$ 1.000,00 mais caro, do que no mesmo período do ano passado.

A tabela abaixo mostra o resultado do setor e de quais marcas estão ganhando e perdendo neste ano.

Raphael Galante

Raphael Galante é economista, trabalha no setor automotivo há mais de 20 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.