UM SUSPIRO NO MERCADO DE MOTOCICLETAS

O mercado de motos apresentará novamente um péssimo desempenho neste ano. Mas, mesmo assim, oportunidades aparecem!

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Com quase 830 mil motos vendidas nos primeiros sete meses deste ano, o setor de duas rodas amarga retração de -10%; onde esse é o pior resultado dos últimos sete anos. Em relação ao ano de 2008 (que foi um dos melhores anos para tal segmento), o mercado de duas rodas está com retração de quase -28%.

Para vocês terem uma ideia, o setor vende em média 13 mil unidades a menos por mês, em relação ao ano passado. Sobre o ano de 2008, o mercado vende a menos pouco mais de 45 mil carros. Ou seja, o volume médio de 2008 era de 165 mil motos/mês, contra 119 mil motos/mês deste ano.

O setor de motos, que foi um dos símbolos do plano Real, devido ao forte crescimento/desempenho no período de 1994 até 2004, vive forte retração devido as medidas restritivas de crédito que afetam seu mercado. Porém, apesar deste fraco desempenho, existe um subsegmento que vai na contra mão do segmento.

O ADORAVEL MERCADO DE MOTOS DE LUXO!

Ao verificarmos as vendas de motocicletas com motorização superior a 400 cilindradas, notamos que este segmento VAI MUITO BEM, OBRIGADO!

Se as vendas de motos estão com queda de -10% nos primeiros sete meses do ano,  as vendas de motocicletas de alta cilindrada registram evolução de 20,5%.

Sobre o ano de 2008, onde o setor de duas rodas apresenta retração de quase -30%, este nicho de mercado apresenta evolução de 173%.

As vendas destas motocicletas, que respondiam por pouco mais de 1% do total das vendas de motos, hoje estão em mais de 4%. Crescimento de quase 3 vezes no share das vendas.

Aqui todas as marcas tiveram ganho. Sejam elas as especificas, como Harley Davidson; BMW; Kawasaki e até mesmo os produtos da Honda e Yamaha. O mercado de veículos de luxo (tanto autos como motos), como a gente já apontou em texto anteriores, é imune à crise. No caso de motos, onde o principal fator para a queda nas vendas é a ausência de crédito, não é desculpa para o subsegmento do setor de motos de luxo. Ao contrário, o mercado de motos de luxo só está em franca ebulição devido a farta oferta de crédito para os clientes que sonham em ter na garagem, uma Yamaha XJ6; uma Honda CB1000R ou até mesmo a Harley Davidson Ultra Limited, onde o nome já diz tudo.

PUBLICIDADE

O gráfico abaixo exemplifica bem como anda o setor de duas rodas e o setor de motos de luxo.

 

Raphael Galante

Raphael Galante é economista, trabalha no setor automotivo há mais de 20 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.

Leia também