PERDAS E GANHOS NO SETOR AUTOMOTIVO

Num cenário onde o mercado apresenta perdas de -10%, quem são aqueles que mais perdem e mais ganham (ou perdem menos)?

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Já apontamos aqui, que o mercado automotivo (autos e comerciais leves), registra queda de -9,56% nas vendas. Estamos com 2,119 milhões de carros vendidos contra 2,342 milhões sobre o mesmo período do ano passado (janeiro a agosto).

Mas, num Brasil continental, nem todos os Estados estão com retração de quase -10%: alguns sofrem bem menos, enquanto outros sofrem bem mais.

Um dos pontos que  sempre tratamos com  nossos clientes, é que: SIM, AINDA EXISTE POTENCIAL DE CRESCIMENTO NO MERCADO AUTOMOTIVO. Para você, leitor, morador de grandes centros (como São Paulo) isso pode parecer loucura. E, de fato, concordo com vocês!

Mas o que queremos mostrar aqui é a questão da “interiorização” das vendas. Esqueça São Paulo! Vamos para onde existe potencial de mercado.

E o potencial de mercado está em regiões como Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país. As vendas estão em queda de -10%, mas, no Piauí, registramos singelo crescimento de 0,23%. OK, concordo que crescer 0,23%, não é nada! Mas num cenário de caos como vive o setor automotivo, É MUITO!

Se pegarmos o resultado de vendas de todos os Estados brasileiros, percebemos que os nove primeiros (que menos sofrem a crise), são da região Norte e Nordeste.

E se olharmos lá para baixo do nosso gráfico… quem encontramos na última posição? Sim, você acertou! São Paulo. O símbolo máximo do caos do trânsito, mostrando que aqui realmente já não cabem mais carros…

Mas, mesmo no Estado de São Paulo, existem oportunidades de mercado, principalmente em algumas mesorregiões do Estado.

 

 

Da mesma forma que existem Estados em situação “menos ruim”, existem marcas que apresentam desempenho significativo. Por exemplo, das mais de 80 marcas que venderam um carro no mercado nacional, tivemos uma que apresentou crescimento nas vendas de +220%.

Sim, caro leitor… você leu certíssimo! No atual cenário existem 10 marcas que estão registrando crescimento de vendas, e, uma delas, com +220% de crescimento.

Estamos falando da…

 

LIFAN!!

 

A marca chinesa, vendendo o primo pobre do carro da Volvo, conseguiu a façanha de atingir um resultado de +220% neste ano.

Ok, vamos fazer como toda boa média, onde exclui-se o maior e o menor resultado (que, por curiosidade, também pertence a outra marca chinesa, a Hafei: -65,15%) e, aí sim, encontramos quem ganha e quem perde no mercado.

Neste novo contexto, percebemos que a AUDI (com a sua excelente campanha de financiamento) fez com que a marca registrasse evolução de quase 81% neste ano. Na sequência, temos a chinesa Chery com +50% e  potencial de crescimento para o próximo ano, já que ela acabou de inaugurar a sua fábrica, há 15 dias.

E, fechando o meu TOP 5, temos a MINI (marca de um carro só) com 31,52%; a Volvo (agora sim, com o primo rico) +11,36% e, finalizando, uma marca de volume, a nova queridinha dos brasileiros: a Hyundai com 10,2%.

 

 

Em resumo, o mercado está uma droga! Mas existe potencial de ganho para aqueles que se empenharem em analisar bem o mercado!

Raphael Galante

Raphael Galante é economista, trabalha no setor automotivo há mais de 20 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.