Os vários “Brasis” dentro do Brasil

Quando falamos do mercado automotivo brasileiro, independentemente do setor, sempre temos que ter em mente que existem vários “brasis” dentro do Brasil. Num país continental como o nosso, não temos aquela verdade absoluta. E, neste singelo post, vamos tentar mostrar algumas das principais diferenças
Por  Raphael Galante -
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Caros leitores, digníssimas leitoras,

Quando falamos do mercado automotivo brasileiro, independentemente do setor, sempre temos que ter em mente que existem vários “brasis” dentro do Brasil.

Num país continental como o nosso, não temos aquela verdade absoluta. E, neste singelo post, vamos tentar mostrar algumas das principais diferenças.

Como falamos no último texto, as vendas de veículos neste ano registram retração de 18,5% sobre o ano passado. Mas o ponto “interessante” é que existe uma variância oscilando entre -5,4% e -40,5%.

O que explica esse hiato de mais de 35 pontos percentuais?

O estado com menor retração nas vendas foi Minas Gerais, com queda de 5,4%. Esse “bom” resultado deu-se devido às compras das locadoras no último mês. Já o nosso pior resultado (retração de 40,5%) deu-se no estado da Paraíba.

Na verdade, quando analisamos o gráfico de calor, notamos que as maiores quedas ocorreram na região Nordeste (-27,6%).

Além de os piores índices do coeficiente de Gini se encontram na região, também tivemos a disparada dos preços dos automóveis, que acabou impactando negativamente no desempenho de regiões com baixo desenvolvimento econômico. Seguindo a ordem, tivemos: Norte -24,4%; Sul -22,7%; Centro-Oeste -16,9 e Sudeste -13,9%.

Outra dúvida nossa é saber o que é consumido nos estados. No mercado automotivo brasileiro, sabemos que o grande sonho de consumo é ter um SUV. O SUV passou a ser o tipo de carro mais vendido no ano passado e segue em passos firmes em 2022.

Mas essa é aquela “verdade absoluta”?

Das 27 unidades da federação, 22 delas realmente possuem o SUV como o tipo de veículo mais vendido. Quatro estados (Acre, Amazonas, Amapá e Minas Gerais) preferem os hatches pequenos. No caso de Minas Gerais, os dados são distorcidos por causa das locadoras. Nos outros três estados da região Norte, percebe-se que a questão do preço ainda é predominante para a aquisição de veículos.

Mas teve um estado que “realmente” nos surpreendeu. No estado de Roraima, mais de 1/3 dos veículos vendidos são picapes médias. Do tipo: Toyota/Hilux; GM/S10; VW/Amarok; Nissan/Frontier entre outras.

Quase 34% das vendas de carros desse tipo de veículo é muita coisa! A média do setor é de 10%. A explicação por essa demanda por picapes (lembrando que são produtos caríssimos) pode estar atrelada ao tipo de terreno da região, que necessita um veículo mais “parrudo”, além da questão da diferenciação tarifária dos veículos que são vendidos lá na Zona Franca.

Por fim, por mais que seja cantado aos quatro ventos que a gloriosa picape pequena da Fiat, a Strada, seja o carro mais vendido no Brasil, isso só é a verdade para apenas 11 estados.

Quando abrimos qual é o carro mais vendido por unidade federativa, verificamos que o gosto do consumidor brasileiro oscila enormemente!

Existem hoje oito veículos que encabeçam a liderança nos estados, com uma grande variância do gosto.

Sim, o Strada da Fiat é o carro mais vendido no Brasil e em 11 estados da federação. O ponto interessante de notarmos é que a Strada possui 6% de share. Mas, em Rondônia, esse percentual salta para 14,5%.

O segundo carro mais vendido do Brasil (Hyundai/HB20) só aparece como líder de vendas no estado de São Paulo.

Já o GM/Onix, terceiro carro mais vendido no Brasil, é o nosso líder de vendas em sete estados. São cinco estados da região Nordeste e dois da região Norte.

A grande surpresa para nós foi a Toyota Hilux aparecer como o carro mais vendido em três estados (Pará, Tocantins e Mato Grosso do Sul). No computo geral, a Hilux é apenas o 15º carro mais vendido, mas lidera (com folga) nesses três Estados. A Hilux possui um share de 2,6%. Mas, no Tocantins, possui um share de quase 10% (quatro vezes mais), de 7,9% no Pará e 7,3% no Mato Grosso do Sul (três vezes mais). São os agroboys “tacando o louco” lá na região!

O VW/T-Cross (que é o SUV mais vendido e o quinto carro no computo geral) aparece como sendo o carro preferido do pessoal de Santa Catarina e Distrito Federal (regiões com alto poder econômico).

Por fim, temos a Fiat, colocando outro carro no topo da lista com o seu Mobi lá em Minas Gerais (olha as locadoras aí). A Hyundai também conseguiu colocar outro carro como o mais vendido lá no Rio de Janeiro com o seu SUV Creta (7º carro mais vendido nacionalmente). E, por último, mas não menos importante, a GM também colocou no pódio como mais vendido mais um carro! Estamos falando do seu SUV Tracker. Que é o carro mais vendido no Rio Grande do Sul – e o nono nacionalmente.

E aí, o que achou? Dúvidas, me manda um e-mail aqui.

Ou me segue lá (onde sou menos perdido) no FacebookInstagramLinkedin e Twitter.

Calcule os custos para ter um carro
Baixe uma planilha gratuita que compara os gastos de um automóvel com outras opções de mobilidade:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

Raphael Galante Raphael Galante é economista, trabalha no setor automotivo há mais de 20 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.

Compartilhe

Mais de O mundo sobre muitas rodas