O “inabalável” mercado de carros de luxo no Brasil

Imaginamos que o destaque do segmento neste ano seria alguma marca do trio alemão Audi-BMW-Mercedes. Mas a grata surpresa foi a Toyota, que abocanhou 18% do mercado
Por  Raphael Galante -
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Caros leitores, digníssimas leitoras: uma das coisas que nos acalenta no setor automotivo é o mercado de veículos de luxo.

O mercado de carros de luxo, aquele do mundo de Caras, segue a filosofia do Buzz Lightyear: “Ao infinito e além!”. Não tem tempo ruim para o pessoal!

Em geral, no segmento, acontecem dois fatores: registro crescimento nas vendas ou então registro um pu#@ crescimento nas vendas!

É lógico que algumas marcas não seguem essa dinâmica. Mas o setor está sempre na ascendente!

E o que registramos no 1º quadrimestre de 2022?

Pegamos todos os veículos com preço superior a um quarto de milhão de reais (R$ 250 mil) e verificamos como estão as vendas.

Pois bem….

Fazendo esse corte, registramos neste primeiro quadrimestre do ano um total de 23,6 mil veículos vendidos, o que representou uma alta de 9,8% sobre o mesmo período do ano passado, quando tivemos 21,5 mil carros comercializados.

Na atual (e eterna) conjuntura político-econômica tupiniquim, registrar crescimento nas vendas de quase 10% é quase um milagre!

Se levarmos em consideração que o mercado automotivo está com retração de 23,3%, o pessoal do mundo de Caras está nadando de braçada!

O mercado de carros de luxo representou, no 1º quadrimestre do ano passado, 3,25% do total das vendas. Já neste ano, as vendas de carros de luxo representam 4,7% do total.

E quem se destacou no nosso estudo?

No início, imaginamos que seria alguma marca do trio alemão ABM (Audi-BMW-Mercedes). Mas a grata surpresa foi a Toyota, que abocanhou 18% do total do mercado!

“A Toyota? Com seus carros espartanos?”

Sim, caros leitores!

No nosso estudo, o carro mais vendido foi a gloriosa Toyota Hilux SW4. Aquele carro “básico” de R$ 400 mil. Neste ano, foram mais de 4,2 mil unidades vendidas, contra 3,8 mil unidades no mesmo período do ano passado. Alta de quase 12% na demanda por esse veículo.

Na verdade, esse foi o carro mais vendido no nosso segmento de luxo!

O segundo veículo mais vendido ficou com o pessoal da Jeep, com o Commander a diesel (na faixa dos R$ 300 mil). Foram mais de 4 mil veículos vendidos neste começo de ano.

O que a gente percebeu nos últimos tempos é que montadoras de volume (como Toyota e Jeep) estão apostando fortemente nesse nicho de mercado.

Ou seja, todas estão atrás daquele cliente “plus-adicional-a-mais” do tipo AAA+.

Isso serviu bem para a Ford. A linha da marca no Brasil hoje conta com o SUV Bronco e o sempre mítico Mustang. Na verdade, a Ford optou por encolher para trabalhar com um cliente “melhor”. A montadora, depois de quase morrer por completo no ano passado, viu as vendas destes dois produtos saltarem 220% neste ano.

Ou seja: morri, mas passo bem!

Outras marcas também aproveitaram a onda para se reinventar/renovar. A Kia trouxe o seu eterno carro família: Carnival. Mas é um “outro carro”, afinal de contas, estamos falando de um veículo de quase meio milhão de reais.

E o nosso trio germânico ABM? Audi -36%; BMW: -2%; Mercedes: -16%.

E aquele povo que é a nata da nata do mundo de caras? Com carros que ultrapassam (fácil) a casa de 1 milhão de reais?

Eles continuam no seu Olimpo, inabaláveis!

Ferrari? Dobrou as vendas; Maserati: +35%; Lamborghini: +75%; Rolls Royce: Dobrou. Tesla: +121%; fora as marcas como Aston Martin e Bentley, que não tinham vendido nada ano passado e já estão vendendo por aqui…

Enfim, tudo tranquilo lá no Olimpo!

E aí, o que achou? Dúvidas, me manda um e-mail aqui.

Ou me segue lá (onde sou menos perdido) no FacebookInstagramLinkedin e Twitter.

Calcule os custos para ter um carro
Baixe uma planilha gratuita que compara os gastos de um automóvel com outras opções de mobilidade:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

Raphael Galante Raphael Galante é economista, trabalha no setor automotivo há mais de 20 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.

Compartilhe

Mais de O mundo sobre muitas rodas

O mundo sobre muitas rodas

Os vários “Brasis” dentro do Brasil

Quando falamos do mercado automotivo brasileiro, independentemente do setor, sempre temos que ter em mente que existem vários “brasis” dentro do Brasil. Num país continental como o nosso, não temos aquela verdade absoluta. E, neste singelo post, vamos tentar mostrar algumas das principais diferenças