Melhores do Ano: Simpar e um dos maiores movimentos de M&A da história do setor automotivo

Em menos de 45 dias, a Simpar saiu de 13 para 47 concessionárias. Esse foi um dos maiores movimentos de M&A na história do setor automotivo

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
movida locadora seminovos chevrolet onix carros usados venda
(divulgação)

Caros leitores, digníssimas leitoras,

2022 já se encontra logo ali, dobrando a esquina. Estamos no fatídico momento de realizarmos a nossa “crássica” retrospectiva do ano. Desta vez, faremos um top 5 com os principais acontecimentos de 2021 no setor automotivo.

Na quinta posição do nosso top 5, no melhor estilo “Max Verstappen ganhando o campeonato na última curva”, um dos grandes destaques deste ano foi o pessoal da Simpar (SIMH3).

A Simpar é “apenas” a holding que controla outras empresas “meia-boca” como JSL (JSLG3), Movida (MOVI3) e Vamos (VAMO3). Além disso, ela possuía concessionárias das marcas Volkswagen, Fiat e Ford (mas não mais).

E por qual motivo o pessoal da Simpar entrou no nosso top 5 do setor automotivo? Simplesmente porque o pessoal de lá decidiu, neste fim de ano, “meter o louco” no setor. O que eles fizeram?

Até este ano, eles possuíam 13 concessionárias. Então, no melhor estilo gremilins, eles foram às compras em novembro e arremataram as 20 lojas do grupo UAB Motors (entenda-se “GPI” na NYSE). Não satisfeitos, e num curtíssimo espaço de tempo depois (30 dias), arremataram mais 14 concessionárias que pertenciam ao Grupo Saga.

Ou seja, em menos de 45 dias eles saíram de 13 concessionárias para 47 lojas. Esse foi um dos maiores movimentos de M&A na história do setor automotivo.

E não foi apenas isso. O pessoal da Simpar desembolsou R$ 510 milhões pelo grupo UAB e R$ 306 milhões por parte das operações do Grupo Saga. Ou seja, a família Simões desembolsou mais de R$ 815 milhões em aquisições de concessionárias.

Se levarmos em consideração um outro grupo que também vendeu uma parte das suas operações no Distrito Federal e Amazonas, somente eles movimentaram mais de R$ 1 bilhão em M&A de concessionárias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar dos pesares, o setor automotivo se encontra numa curva ascendente de rentabilidade. Já havíamos explorado esse tema mostrando que, mesmo em ano de pandemia, a lucratividade do setor subiu 50%.

Naquele momento, o CEO da DBK (uma das principais empresas de compra e venda de concessionárias) havia nos passado a visão sobre a dinâmica de M&A que vem acontecendo no mercado brasileiro. Segundo ele: “O mercado de concessionárias está muito comprador e várias empresas menores sem sucessão estão nos procurando para aproveitar o momento e vender”.

E não só empresas pequenas!

No caso da Simpar, tivemos dois marcos importantíssimos que devemos salientar.

O primeiro foi o fim de um sonho. Num passado não muito distante, alguns grupos de investidores estrangeiros passaram a atuar no mercado de distribuição de veículos.

Tivemos os desbravadores do grupo Entreposto (sediado em Portugal), que foi um dos primeiros a entrar neste ramo, seguidos dos japoneses do grupo Tsusho. Aí entrou o pessoal do Group 1 Automotive (grupo UAB) e do grupo McLarty.

O que eles perceberam é que neste ramo de atividade você precisa ser ninja para sobreviver e ganhar dinheiro, ainda mais no mercado brasileiro.

O grupo Entreposto encerrou as suas operações em terras tupiniquins em 2019. O grupo UAB irá encerrá-las assim que a negociação com a Simpar for concretizada. Já o pessoal da McLarty deu uma oxigenada no negócio com a saída da família Caltabiano das operações. E os japoneses da Tsusho estão só de olho nas movimentações que estão ocorrendo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O segundo ponto foi que, na compra das operações da Saga no Maranhão pelo grupo Simpar/Original, estava embutida a “aquisição” do executivo e agora atual diretor-presidente deste novo grupo de 47 lojas.

E aqui, no melhor estilo “Letícia Toledo”, parafraseando o seu Do Zero ao Topo, a história do Alessandro Soldi, se encaixa neste perfil.

O legal do Alessandro é a sua trajetória profissional. Desde o início como estagiário de uma fábrica da Volkswagen, passando para montador de veículos na mesma montadora e, chegando agora, a diretor-presidente de um dos maiores grupos de concessionárias do país (se todos os negócios que a Simpar realizou nos últimos 45 dias se concretizarem, o grupo Original Veículos estará no nosso top 10 de maiores grupos, brigando para entrar no top 5).

E, ao que tudo indica, o grupo Original/Simpar tem tudo para entrar nesse seleto grupo dos top 5. Quando o Soldi iniciou sua trajetória no Saga há 20 anos, o grupo tinha apenas duas concessionárias. Antes dessa operação com a Simpar, o grupo Saga já totalizava 110 concessionárias.

O Grupo Saga também merece uma menção no “Do Zero ao Topo”, já que o ritmo de expansão nos últimos 20 anos foi da abertura de uma concessionária a cada 75 dias – tornando-se “quase” o maior grupo de concessionárias no mercado brasileiro (não considerando a venda deste lote, além de ser impossível concorrer com o grupo Caoa).

E aí, neste cenário, uma das expertises que o Soldi adquiriu foi esse processo de expansão de rede que o Grupo Saga fez ao longo das últimas duas décadas.

Lógico que pautar o Soldi só por essa “expertise” em expansão de rede seria uma injustiça com os seus mais de 25 anos trabalhando no setor e toda a sua formação acadêmica feita aqui no Brasil e no Exterior.

Mas a entrada dele como “o” executivo da empresa é, para nós, um forte indicador de que deveremos ter novas aquisições no portfólio da Simpar/Original.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Newsletter InfoMoney Receba as notícias mais relevantes do mercado no seu email.
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Calcule os custos para ter um carro

Raphael Galante

Raphael Galante é economista, trabalha no setor automotivo há mais de 20 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.