APRENDENDO COM OS AMERICANOS….

O mercado automotivo mudou muito  nos últimos tempos. As montadoras aqui instaladas abriram os olhos e perceberam que a renovação do seu portfólio é essencial. Algumas marcas já perceberam isso, outras não....

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Uma das tônicas que ditam o mercado automotivo americano é a quantidade de novos modelos que são lançados a cada ano. Esta é uma variável importante para um mercado altamente competitivo, como é o americano.

Apenas como fato ilustrativo, pegando duas das principais marcas de lá (FORD e GM) existe aqui uma programação de lançamento de 18 novos modelos para os anos de 2013 e 2014. Sendo cinco da Ford e 13 da GM.

O ponto que tentaremos ilustrar é que esse “conceito americano” está desembarcando em terras tupiniquins!

Novamente, vou exemplificar o que está ocorrendo com o setor automotivo, com exemplos nacionais da FORD e da GM.

No caso da FORD, acreditamos que ela demorou “um pouco além da conta” em realizar a renovação do seu portfólio. Desde 2008, 2009 ela contava com veículos de design cansado e ultrapassado em relação a concorrência. No final do ano passado, tivemos o lançamento do novo Ecosport e agora – nos últimos dois meses – estamos vivendo o frenesi do New Fiesta. O ponto aqui é que no mês passado a FORD conseguiu obter o seu melhor resultado (na visão do Market Share) dos últimos 33 meses!

O gráfico abaixo, mostra como foi a participação da FORD ao longo dos últimos tempos, do seu declínio à ressurreição dos últimos meses.

 

Já no caso da GM,  também  registrou o seu melhor resultado dos últimos 12 meses, agora no mês de julho. O processo da GM é um pouco mais maduro do que o da FORD e vem desde 2011 com a renovação gradual de quase todo o seu portfólio. Basta verificar a sua última campanha de mídia, que possui esse enfoque. Além da renovação do portfólio, a GM é a montadora (na minha visão) que possui o melhor cardápio de opções para o consumidor. Isso tenderá a fazer que ela encerre este ano na segunda posição em volume de vendas, ultrapassando a VW.

 

Bom… mas, se tem alguém que está ganhando (neste caso FORD e GM,) deve ter alguém que está perdendo… Neste cenário, “a grande perdedora” é a VW. Com Market Share de 17,55% em julho, a marca registrou o seu pior resultado desde 2010!

Comparando GM e FORD com a VW, nota-se que esta última realmente não realizou “grandes lançamentos” como as duas primeiras. Com produtos há muito tempo no mercado, a VW não está conseguindo se reerguer frente aos concorrentes e, também, com a chegada de novos produtos/marcas o cenário não é muito promissor. O gráfico abaixo mostra a participação declinante da VW.

 

Mas o melhor de tudo (ou o pior de tudo) é que: O QUE ESTÁ RUIM, SEMPRE PODE FICAR PIOR!

Se a VW está ficando para trás, a conta será bem pior para o ano que vem. Lembremos que a sexagenária VW Kombi está em seu último ano de glória, e é aqui que a porca torce o rabo…

Um dos levantamentos que fazemos aqui na empresa é o faturamento das principais marcas do setor automotivo. Neste cenário, no ano passado, nas nossas contas, a VW teve faturamento (apenas nas vendas de veículos leves) na ordem de R$ 29,42 bilhões. Sendo que a vovó Kombi registrou participação de 4,13% do total do faturamento com R$ 1,216 bilhão.

A tabela abaixo exemplifica melhor o faturamento da VW e da Kombi ao longo dos últimos quase cinco anos….

 

 

O grande problema para a VW é que com um mercado MUITO MAIS competitivo, ansiando por novos lançamentos/novidades, eles começarão o ano que vem “com menos R$ 1 bilhão” da Kombi.

Para o consumidor, além do acesso a novas marcas/modelos ele também deverá ser beneficiado por produtos com preços “convidativos”. Afinal de contas, marcas que não atualizaram seus portfólios entrarão na briga do setor com aquilo que eles podem oferecer… PREÇOS MENORES.

Raphael Galante

Raphael Galante é economista, trabalha no setor automotivo há mais de 20 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.