A força do interior do país!

Análise de vendas comprova que o bom resultado do setor automotivo está atrelado ao interior do país!

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

SÓ O INTERIOR SALVA!

No período de 2005 até 2014, as vendas de veículos praticamente dobraram de tamanho. Em 2005, tivemos 1,613 milhão de carros vendidos contra 3,275 deste ano.

Em resumo, registramos ao longo destes 10 anos, crescimento médio anual de 7,6%.

Crescimento de 7,6% a.a. para a indústria automotiva é um número sensacional! Afinal de contas, crescemos bem mais que o dobro do país, neste mesmo período.

O que queremos demonstrar não é quem ganhou ou perdeu mercado; se o carro brasileiro é ABSURDAMENTE CARO, e por aí vai.

O que vamos apontar é:

ONDE SE DEU TAL CRESCIMENTO, NUM BRASIL CONTINENTAL?

O crescimento da indústria – como sempre falamos – aconteceu nas regiões Centro-Oeste (+9,41% a.a); Nordeste (+8,83% a.a) e Norte (+8,12% a.a.).

De fato, os Estados que tiveram maiores crescimento foram Roraima +14,54% a.a.; e o nosso celeiro agrícola Mato Grosso com +12,73% a.a.

Mas não foram só esses Estados que tiveram desempenho favorável. O que percebemos é que as vendas de veículos ao longo destes últimos 10 anos aconteceram no interior de cada Estado.

Como assim? Fizermos a seguinte conta: pegamos a capital de cada Estado + 2 municípios adjacentes a eles de relevância e classificamos como “CAPITAL”. Tudo o que sobrou virou o nosso “INTERIOR”.

Pois bem… se a média de crescimento do Brasil foi de 7,6% a.a., nas capitais, esse crescimento foi de apenas 5,47% a.a.  contra 9,52% a.a. no interior. Ou seja, os interiores dos Estados tiveram um crescimento – em média – 75% maior que as suas capitais. Salvo a exceção de Minas Gerais e Belo Horizonte, mas, LOCALIZAmos que os dados de lá estão um pouco furados.

Quando falamos de capitais com “C maiúsculo” como São Paulo, esta registrou crescimento de modestos 3,07% ao longo destes 10 anos; enquanto o interior registrou crescimento de quase 7% – 127% maior! O mesmo que Paraná com a sua grande Curitiba, onde a Capital evolui apenas 2,42% contra 9,63% do interior (ou seja o interior do Paraná cresceu três vezes mais que a Capital).

No Amazonas, a diferença entre a capital e interior foi de apenas 450%!!!!

Os gráficos abaixo ilustram os nossos conceitos:

Raphael Galante

Raphael Galante é economista, trabalha no setor automotivo há mais de 20 anos e atua como consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva.