Conheça as melhores aplicações para o seu FGTS

Após o anúncio do Governo Federal, entenda quail investimento se encaixa em seu perfil visando a aposentadoria

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

 

Como todos viram, o Governo Federal anunciou as datas para o saque das contas inativas do FGTS até dezembro de 2015. Os resgates dependerão da data de aniversário de cada contribuinte e serão possíveis de efetuar de 10 de março a 31 de julho de 2017. Para consultar se você terá direito a resgatar estes recursos, vale conferir no site da Caixa Econômica Federal em http://www.caixa.gov.br/beneficios-trabalhador/fgts/contas-inativas/Paginas/default.aspx.
Para aqueles que já sabem que possuem recursos nestas contas, a melhor recomendação que podemos passar neste momento é que resgatem todo o valor possível e realizem aplicações que possam garantir um futuro mais tranquilo a cada um de vocês. Essa sugestão vem em virtude do histórico muito baixo de rentabilidade do FGTS, o qual rende 3% ao ano mais a Taxa Referencial (TR) do período, esta que é considerada praticamente ínfima. Apenas como comparação, o rendimento do FGTS “conseguiu” ser inferior a inflação no Brasil em pelo menos nos últimos 10 anos, o que é certamente uma péssima notícia aos contribuintes.
Por razões óbvias, cada um tem um perfil, uma necessidade e um objetivo de vida além do valor a resgatar e por isto serei um pouco mais genérico. No entanto, irei listar abaixo as melhores recomendações deste momento visando a aposentaria.
Médio Prazo 
Para os que possuem um perfil mais conservador e visam o médio prazo, o que podemos chamar entre 5 e 10 anos, as sugestões são:
– Tesouro IPCA: esta modalidade de investimento é um título do Tesouro Nacional em que o investidor recebe do Governo Federal o rendimento dado pela inflação (IPCA) somada a um prêmio no período, que está em cerca de 5,5% ao ano. Ou seja, o investidor garante assim a manutenção do seu poder de compra ao longo do tempo por estar com um investimento atrelado a inflação do país.
– Fundos Multimercado: o fundo de investimento multimercado, como o próprio nome já diz é onde o gestor escolhe as melhores oportunidades, na visão dele, que poderão ser daquele momento ou que possam vir a ter alguma tendência no prazo determinado. Ativos como ações, índices, commodities e moedas tanto nacionais quanto do mercados externos poderão compor a carteira do fundo, além das mais diversas estratégias de investimento. No Brasil temos dezenas, se não centenas de fundos multimercado atualmente, e portanto a melhor recomendação de escolha seria ou conversar com algum especialista da instituição financeira da qual tem conta ou observar nas lâminas mensais dos fundos o histórico de rentabilidade e as taxas cobradas, o que certamente poderão fazer grande diferença para a sua aposentadoria. Em geral, estes fundos costumam cobrar taxas próximas de 1,5% ano mais performance de 20% sobre o que exceder do CDI no período.
Longo Prazo
Já para aqueles que visam o longo prazo (mais de 10 anos) e que ainda “jogam” com o tempo a seu favor, pois em geral são pessoas mais jovens, poderia recomendar uma das duas opções de investimento acima, mas com os títulos do Tesouro IPCA com vencimento mais longo como 2035 ou até superior a este prazo.
Outra possibilidade seria o investimento direto no mercado de ações, com uma parcela menor do valor a investir como cerca de 10% da carteira ou aplicar diretamente em um fundo de ações, mesmo para aqueles que se consideram conservadores. Para a primeira opção recomendaria ações de empresas já consolidadas e com histórico de gestão qualificada como os bancos Itau e Bradesco, ações de empresas do setor varejista como Lojas Renner e Americanas além da conhecida Ambev da indústria de bebidas. Caso a opção seja pelos fundos de ações, também seria necessário entrar em contato com algum especialista ou verificar nas lâminas mensais divulgadas o histórico de performance e taxas cobradas. Neste caso, os fundos de ações com gestores ativos, em geral, cobram entre 2 a 3% ao ano de taxa de administração.
Conclusão:
Aproveite! Esta é uma grande oportunidade para pensar no seu futuro e ter uma aposentaria mais tranquila e sem a dependência do Governo Federal (INSS).

Roberto Indech

Analista chefe de investimentos da Corretora Rico/ CNPI - EM1426. Graduado em Relações Internacionais pela FAAP e certificado pelo Programa de Qualificação Profissional (PQO).