STOCK PICKERS NO AR O maior otimismo do otimista: por que João Braga está 98% investido na Bolsa brasileira?

O maior otimismo do otimista: por que João Braga está 98% investido na Bolsa brasileira?

Fechar Ads

Por que a emissão de bonds do Japão por Warren Buffett é mau sinal para as ações?

Quem seguiu as compras do megainvestidor nos últimos anos se deu bem e sinal recente é de que o fundo do poço pode não ter chegado ainda
Por  Marcelo López -
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Em agosto do ano passado, escrevi um artigo (leia aqui) no qual comentava sobre os investimentos (ou a falta deles) por parte do maior investidor da atualidade: Warren Buffett.

Na época, comentei que deveríamos seguir não as palavras, mas as atitudes de Buffett, que não havia feito nenhuma compra substancial nos últimos anos e estava com uma posição em caixa recorde, com mais de US$ 120 bilhões.

Como já disse algumas vezes, a paciência é uma característica importantíssima para um bom investidor e, na minha opinião, a melhor estratégia é a que Howard Marks chama de oportunismo paciente, ou seja, esperar por barganhas.

Depois do crash na bolsa brasileira e das quedas no mundo inteiro, será que chegamos nesse momento?

Pois bem, vale a pena olhar mais uma vez para Buffett para ver o que o lendário investidor está fazendo. A resposta, imagino, surpreenderá muitas pessoas. Buffett ainda não anunciou nenhuma compra substancial e realizou algumas vendas, coisa que não é muito normal. Charlie Munger, o vice-chairman da empresa, falou à Bloomberg no final de semana e confirmou que a Berkshire Hathaway ainda está preservando o caixa.

A Berkshire Hathaway diminuiu sua exposição na Delta e na Southwest Airlines, mesmo após a queda abrupta de suas ações. Mas uma coisa me chamou a atenção: a Berkshire Hathaway emitiu quase US$ 2 bilhões em bonds denominados em ienes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Buffett poderia ter emitido esses bonds facilmente nos EUA ou Europa, então por que os emitiu no Japão? Na minha opinião, isso é uma clara demonstração do que Buffett espera que o iene japonês se desvalorize em relação ao dólar, o que faria essa dívida ficar ainda mais barata – além, é claro, da volta da inflação.

O dólar está ficando mais forte com relação a todas as moedas do mundo, especialmente moedas de mercados emergentes. Há uma posição short em dólar no mercado de eurodólares (quem tiver alguma dúvida sobre o que é esse mercado, ouça aqui um podcast com uma sumidade no setor, Jeff Snider) e acredito que Buffett saiba muito bem disso e esteja se aproveitando do fato.

Quem seguiu as “recomendações” de Buffett ano passado se deu bem. Será que dessa vez será diferente?

Marcelo López Marcelo López tem certificação CFA, é gestor de recursos na L2 Capital Partners, com MBA pelo Instituto de Empresa (Madrid, Espanha) e especialização em finanças pela principal escola de negócios da Finlândia (Helsinki School of Economics and Business Administration). Atuou como Gestor de Carteiras e de Fundos em grandes gestoras internacionais, tais como London & Capital e Gartmore Investment Management.

Compartilhe

Mais de Investimentos Internacionais