Pare de culpar o próximo, ache o erro e arrume-o

A desorganização, falta de objetividade e falta de transparência, existentes em um ambiente de trabalho, são os principais ingredientes para uma morte lenta e quebra de um negócio. O método SCRUM é um proposta criativa para eliminar esses ingredientes e criar um ambiente revolucionário e cheio de propósito, capaz de gerar ganhos exponenciais.
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Ariel Mehler é graduado em engenharia de produção pelo instituto Mauá de Tecnologia, pós graduado pela FGV MBA com foco em finanças e diretor industrial da Adatex S.A.

Imagine chegar todo o dia no trabalho e observar inúmeros projetos que começam, demandam muita energia de vários colaboradores e nunca são terminados.

Nesse cenário a desilusão e desmotivação da equipe é tão rotineira que todos os funcionários da empresa já consideram “normal”. O questionamento não é aceitável, grandes somas de dinheiro são despendidas em projetos intermináveis e os melhores talentos, de tão desmotivados, desistem de fazer parte da equipe e procuram outras oportunidades.

A desorganização, falta de objetividade e falta de transparência, existentes em um ambiente como o descrito, são os principais ingredientes para uma morte lenta e quebra de um negócio.

Na tentativa de interromper esse circulo vicioso e transcender para um circulo virtuoso Jeff Sutherland criou em 1993 o método Scrum, de mesmo nome que seu livro.
A ideia inicial por trás desse método era criar mecanismos mais confiáveis e ágeis para criação de softwares. O processo se desenvolveu por anos, até que em 2010 Jeff foi convidado pelo FBI para ajudar na implantação do sistema de software integrado de informações que prometia acelerar e organizar todas as investigações.

Os prazos não eram cumpridos, a empresa que na época desenvolvia o software, a cada nova solicitação do FBI, aumentava o custo do projeto e cada vez mais a sensação era de que se jogaria uma imensa quantidade de dinheiro no lixo sem a entrega de um resultado efetivo.

Com o método Scrum, em constante aperfeiçoamento a mais de 20 anos, Jeff conseguiu implantar o desejado pelo FBI dentro dos custos planejados.

O que é, então, que esse método fez para acelerar a eficiência do projeto do FBI e faz, hoje em dia, para tantas outras empresas que criam ambientes de trabalho altamente eficientes?

A proposta por trás do método Scrum é mais que um simples roteiro de tarefas a serem realizadas. É uma profunda análise do ambiente em que uma empresa esta inserida e o conhecimento das opções que ele te oferece.

Times ágeis, pequenos, autônomos em suas decisões e com pessoas com diferentes conhecimentos entre si são essenciais para colocar em pratica esse mecanismo.

Porém, somente esses elementos não serão suficientes para garantir a interação da equipe. É preciso criar um forte senso de propósito para os seus integrantes, de maneira que eles se comprometam com o objetivo final do projeto em que estejam inseridos.

A opção por times pequenos também tem um propósito. Times grandes tendem a ter muito desperdício de tempo e com o aumento dos canais de comunicação, ou seja, mais pessoas, essa perda é garantida através da criação de “ruídos” que atrapalham o andamento do trabalho.

As tarefas dentro desses times são delineadas de maneira que barreiras sejam rapidamente vencidas. Na verdade existe um membro responsável, especificamente, por derrubar qualquer coisa que impeça a resolução do objetivo final e outro membro que define qual é esse objetivo.

O que se propõem, de maneira resumida, é que projetos sejam divididos em pequenos blocos temporais (subprojetos). No começo de cada subprojeto os membros do grupo discutem o que querem e como chegarão no resultado desejado. Uma vez iniciado o processo, diariamente, a pessoa responsável por retirar os entraves se reúne com a equipe e define o que precisa ser “azeitado”. No final desse bloco se discute o resultado e se prepara para iniciar um novo ciclo porem, dessa vez, aplicando as melhorias atingidas na etapa anterior.

Para que a metodologia descrita acima seja bem sucedida alguns pontos precisam ser estritamente respeitados:
• Foque em uma tarefa por vez. Fazer várias coisas ao mesmo tempo gera dispersão do pensamento e, por consequência, cria lentidão;
• Tudo que estiver em processo custou dinheiro e energia e, se não entregue, significa uma perda;
• Faça certo da primeira vez e se errar conserte imediatamente;
• Não trabalhe mais horas que o normal. O cansaço causa erro e o erro gera retrabalho;
• Crie objetivos que podem ser alcançados. Objetivos inalcançáveis são desmotivadores;
• Evite a todo custo burocracias estúpidas.

Esse método cria mecanismos para examinar o sistema que produziu uma falha para então corrigi-la, ao invés de procurar um culpado. Entregas rápidas e incrementais possibilitam a resposta célere para perguntas como: Estamos no caminho certo? Ganharemos dinheiro com isso?

Que professor, empresário, cientista ou desenvolvedor de software não gostaria de ser mais eficiente e chegar no produto final correto, seja ele físico ou não? Imagine percorrer todo o percurso para que no fim se descubra que a chegada não era a desejada. Uma perda de tempo, e tempo é a única coisa que não se recupera.
Scrum não só te leva a ganhos exponenciais de eficiência mas também te leva a ser mais feliz. Afinal, uma pessoa que tem propósito no que faz, autonomia e vê rapidamente o resultado do seu trabalho (e que esse resultado seja o procurado) é uma pessoa mais realizada.

Agora imagine um ambiente oposto ao descrito logo no começo desse artigo. Imagine chegar todo o dia no seu trabalho e se encontrar com sua equipe, uma equipe proativa, autônoma e cheia de vontade. Imagine a vontade de entregar cada vez mais, cem vezes mais, quinhentas vezes mais, mil vezes mais.
O método Scrum te possibilita tudo isso e muito mais.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

 

IFL - Instituto de Formação de Líderes O Instituto de Formação de Líderes de São Paulo é uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo formar futuros líderes com base em valores de Vida, Liberdade, Propriedade e Império da Lei.

Compartilhe
Mais sobre

Mais de IFL-Instituto de Formação de Líderes

IFL-Instituto de Formação de Líderes

Qual o papel da Lei e do Estado?

Que tipo de qualidade de vida você e sua família teria se pudesse ter mais liberdade de escolher para onde vão os frutos das suas faculdades (do seu trabalho), que atualmente são espoliados pelo Estado em forma de impostos para gastos que não necessariamente estão alinhados com as suas necessidades?