O papel dos avós na educação financeira dos netos

Ouvimos sempre que os avós "deseducam" os netos. Mas a afirmação não é mais verdadeira. Atualmente, os vovôs e vovós estão cada vez mais participativos na educação das crianças e isso também se reflete na educação financeira delas.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

 

A velha máxima que “as mamães educam e as vovós deseducam”, por mais que seja divertida, está em desuso. Isso porque o que observo hoje são vovôs e vovós que se preocupam com o futuro financeiro dos netos, deixando o tema como um legado, que será levado para o resto da vida.
 
Por mais que não tenham aprendido sobre o tema nas escolas, nem mesmo em outros lugares, os avós tem a seu favor um fator determinante, que é a experiência. Assim, a combinação entre essa, o carinho e o respeito que os baixinhos sentem por eles podem e devem ser utilizados a favor da educação financeira.
 
Cada vez mais vejo a relevância da integração entre as gerações como sendo uma grande oportunidade de formar cidadãos mais aptos financeiramente. Mas também há grandes desafios no processo de ensinar os baixinhos, por isso, é importante alguns cuidados na hora de tratar o tema, para que ele seja passado de maneira correta, deixando de lado os tabus que foram vivenciados ao longos dos anos.
 
Isso mesmo! É importante que se utilize os aprendizados, mas de maneira correta e atual. Por exemplo, hoje, temos que trabalhar em um contexto de economia estável e não mais de assustadores índices inflacionais do passado. Mas, desse antigo cenário, tiramos pontos positivos, que é a observância de como o aumento dos preços tem em nossas vidas e como é necessária a negociação; por outro lado, deve ser deixada de lado a ideia de armazenamento de todo e qualquer alimento, evitando assim o desperdício. 
 
A situação financeira dos vovôs e vovós também deve ser utilizada como exemplo; assim, se esses foram poupadores e, hoje, se encontram em uma situação de investidor, o sucesso deve servir de exemplo, já que permite proporcionar presentes e experiências legais para a criançada. Mas o mesmo também deve ser bem administrado pelos idosos, que jamais podem cair na tentação de quererem compensar os seus tempos de dureza mimando os netos.
 
A abordagem mais recomendada é ensinar a criança, por meio do exemplo, a merecer o dinheiro e os presentes. Também não se deve atrapalhar as conquistas dos pequenos. Se eles estão economizando para comprar alguma coisa, não rompa esse ciclo, indo lá e comprando simplesmente o que ele quer; isso pode causar frustração na criança. Ajudar a conquistar é uma coisa, atropelar uma conquista é outra.
 
Já os avós que não estão equilibrados e vivem sempre no limite, que chamo de equilibrados, também tem uma grande chance de mostrar para as crianças as virtudes da educação para fazer o dinheiro render. Esses ensinarão que orçamentos têm limites e que nem tudo pode ser comprado. Podem oferecer às crianças opções (escolha) de lazer dentro de suas possibilidades financeiras. Então, é hora de aproveitar para ensinar coisas e dividir momentos; ensinar a andar de bicicleta, jogar damas ou fazer bolos.
 
Para os que estão na situação de endividados, antes de tudo, é fundamental que se evite que a situação tenha reflexo negativo no dia a dia, o que só fará mal a todos. Também é importante buscar ajuda, conversar com os filhos da sua situação e compensar a impossibilidade de dar presentes com atenção na vida dos netos, carinho e companheirismo. Também é viável que usem os seus exemplos para ensinar os netos a não cair nas armadilhas que eles caíram e, assim, também ajudar na educação financeira.
 
Enfim, independente da situação que os vovôs e vovós se encontram, eles têm que ter em mente que possuem papel fundamental no futuro financeiro de seus netos, pois eles são grandes exemplos e tm muito a passar, mas isso sempre de forma positiva e com muito amor!

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.