Férias de julho: viajar ou não?

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Muitas famílias decidem viajar no meio do ano, aproveitando o período de férias escolares dos filhos. A ideia é ótima, claro, mas o problema é que nem todas se planejam para que a ocasião seja mesmo apenas de união e diversão, comprometendo o orçamento e transformando o pós-viagem em uma verdadeira dor de cabeça.

O ano tem sempre os mesmos meses, certo? Então, por que não criamos o hábito de sentar com todos e conversar sobre o que queremos fazer em todas essas datas já previstas, com antecedência? Dessa forma, podemos nos programar melhor, guardar dinheiro para o que precisar, pagar tudo à vista, com desconto, e não ter problemas desse tipo. Não seria muito melhor?

E, se pensarmos bem, não é difícil ter esse comportamento, basta um pouco de disciplina, porque o resultado vale muito a pena, só tem a ganhar. Esse é o princípio da educação financeira: priorizar o planejamento para realizar mais sonhos com o dinheiro que se ganha.

Mas como essa ainda não é a realidade de boa parte da população, uma vez que não teve a oportunidade de receber orientação para criar hábitos corretos em relação ao uso e à administração dos recursos financeiros, a consequência são altos índices de endividamento e inadimplência em toda parte do país, já começando, inclusive, com os mais jovens.

Por isso, minha recomendação é que façam dessas férias de julho um marco para toda a família. Planejem-se e façam desse comportamento o padrão para tudo daqui pra frente. Então, o primeiro passo para realizar a viagem é pensar em todos os gastos diretos e indiretos, como transporte, estadia, alimentação, telefonia, dentre outros. Isso dará a ideia correta do valor total da viagem, para então, com base nisso, poderem pesquisar os melhores preços e condições e conseguirem poupar para pagar à vista.

Caso não tenham visto nada disso até o momento e muito menos guardado dinheiro, oriento que comecem então a se planejar para as próximas férias e que, nessa, faça algum passeio mais em conta, que caiba no orçamento. Lembrem-se: respeitar o padrão de vida é o aspecto primordial para se ter educação financeira e realizar objetivos da maneira mais correta e saudável. Há diversos opções de programas culturais e pontos turísticos para conhecer, que exigem pouco dinheiro.

Agora, se a viagem já foi planejada e está tudo certo, o cuidado deve ser com as despesas durante o passeio que não estão no planejamento, pois sempre ocorrem. Mas mesmo para essas, deve se ter, minimamente, um limite programado. Boas férias a todos!

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.