AO VIVO RADAR: Bolsonaro quer mexer em diretorias da PETR4, diz O Globo; GOLL4: Kakinoff deixa comando após 10 anos

RADAR: Bolsonaro quer mexer em diretorias da PETR4, diz O Globo; GOLL4: Kakinoff deixa comando após 10 anos

Dia das Mães não pode ser sinônimo de dívidas

Todos sonham em poder dar aquele presente que a mãe tanto quer, mas será que elas gostariam de ver os filhos endividados por causa disso?

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

 

A expectativa de vendas para esse Dia das Mães está tímida: apenas 1% maior do que no mesmo período do ano passado, de acordo com pesquisa da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP). A informação pode significar uma população consumidora mais precavida e consciente.
 
Digo isso porque o histórico é sempre o inverso, filhos querendo dar o que as mães querem mesmo sem ter condição financeira para isso, resultando em endividamento – não é à toa que essa é uma das melhores datas para o comércio, ficando atrás apenas do Natal.
 
O fato de a probabilidade das vendas não aumentar significativamente nos faz refletir sobre a importância de ter uma sociedade educada financeiramente. São pequenas atitudes que nos trazem grandes mudanças, como essa de ter a consciência de gastar apenas o que a situação financeira permite, sem comprometer todo o orçamento com um presente.
 
O valor que damos às nossas mães não é medido pelo o que desembolsamos para presenteá-las. É claro que, para demonstrar o quanto gostamos, muitas vezes, queremos dar exatamente aquilo que sabemos que elas gostariam, e é até possível fazer isso, mas apenas mediante um planejamento.
 
É aí que entram os ensinamentos da educação financeira: priorizar os sonhos e poupar para realizá-los. Assim, se o objetivo é dar à mãe aquilo que ela sempre sonhou, programe-se com antecedência, pesquise o produto, poupe o dinheiro necessário e compre à vista – para conseguir descontos e não comprometer o orçamento financeiro dos meses seguintes.
 
Ainda que tenha que parcelar, quando é planejado, não há problema, pois você já previu o valor que terá que pagar mensalmente e que cabe no seu bolso, sem se prejudicar. Mas, se, ainda assim, não for possível comprar o presente que ela tanto queria, é preciso respeitar sua condição e mudar os planos. É importante ressaltar que o Dia das Mães é para reconhecer o importante papel delas e não sinônimo de gastos.
 
Não há dúvida de que elas merecem o que há de melhor, mas o que elas realmente querem é estar perto da família, receber carinho e saber que todos estão com saúde, o que inclui a física, mental, espiritual e, claro, financeira. Pensem nisso, eduquem-se financeiramente e aproveitem cada momento com sua família, sempre com responsabilidade.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.