Como controlar as finanças para terminar e começar bem o ano

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Todo mundo sabe que final e início de ano é um período de muitos gastos, não só por conta dos presentes de Natal e viagens planejadas, mas também pelos impostos que pagamos, como IPTU e IPVA, por exemplo, além de matrícula, material escolar, dentre outros. Então, se não houver planejamento, como passar por essa época sem aperto?

Para quem não se programou para as compras de fim de ano até agora, realmente, o prazo está apertado, é melhor pensar em um plano B, trocando por lembrancinhas ou, dependendo da situação, não presentear ninguém e buscar reaver o controle das finanças, para, no ano que vem, estar em condições de fazer o que não poderá fazer este ano.

Então, para saber como agir, é preciso, primeiramente, saber a real condição financeira em que se encontra: endividado, equilibrado ou investidor. Se estiver em uma das duas primeiras opções, é preciso muita cautela, uma vez que, qualquer passo maior que a perna pode piorar a situação. Saiba para onde está indo cada centavo do dinheiro, para que possa fazer os ajustes – e até os cortes – necessários.

Em média, 20% dos gastos são exageros, supérfluos, por isso, acredite, é possível diminuir as despesas e redirecionar esses valores a outros objetivos – como sair das dívidas, por exemplo, pagar os impostos do começo do ano e outras metas para 2015, ou, nesse caso, poderia até mesmo ser utilizado para os presentes de Natal.

Para quem já se programou, é investidor e está em uma situação tranquila financeiramente, desenvolvi algumas orientações para comprar bem e com educação financeira nesse final de ano:

1) Por maiores que sejam as facilidades de compra nesse momento, o consumidor deve observar a sua real situação financeira e projetá-la pelos próximos 12 meses, no mínimo, para ter certeza de que o que foi gasto não fará falta;

2) Faça uma análise aprofundada de qual é a sua real disponibilidade financeira e quanto dinheiro pretende gastar nesse momento;

3) Você deve relacionar seus gastos normais e os típicos de fim e início de ano, como despesas com viagens, ceias (natal e virada de ano), IPVA, IPTU, matrícula, material escolar, etc. A partir desse registro, você saberá quanto dinheiro terá para as suas compras de final de ano;

4) É importante observar que, antes de ir às compras, você deve guardar parte desse dinheiro para outros sonhos (objetivos e metas), como dinheiro para cursos de especializações, aposentadoria e independência financeira.     

5) Antes de sair às compras, liste as pessoas que irá presentear, o quanto pretende gastar com cada uma e o que esse presente irá agregar para o presenteado;

6) Presenteie-se! Você também merece recompensas por tudo que trabalhou durante o ano; portanto, procure algo que agregará valor ao seu futuro. Uma boa dica é um livro;

7) Antecipe suas compras, evitando, assim, filas. Você também vai encontrar preços melhores e terá maior prazo para negociação. Mas avalie! Caso essa compra possa ser prorrogada, aguarde o início do ano, que as promoções certamente chegarão;

8) Pesquise os preços dos produtos em, pelo menos, cinco lugares, não se esquecendo da internet, que, algumas vezes, pode ter ofertas interessantes;

9) Busque o menor preço à vista, negocie e lembre-se de que as lojas quase sempre têm margens para negociar. Caso não consiga com o vendedor, chame o gerente da loja;

10) Evite parcelamentos, principalmente os longos. Em caso de impossibilidade de pagamento à vista, faça parcelas curtas e negocie os juros. Não se esqueça de que essas parcelas serão somadas com outras já existentes em seu orçamento;

11) Lembre-se! As festas de fim de ano são momentos para estar próximo à família e aos amigos. A troca de presentes é importante, porém, mais importante é ter nossa saúde física, mental e espiritual e, para conquistá-las, é fundamental você alcançar a saúde financeira.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.