20 anos do Plano Real, o que mudou em sua vida financeira?

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

 

Há 20 anos, o então ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso criava o Plano Real, que traria estabilidade à moeda e o fim dos altos índices da inflação, que, segundo o IBGE, anos antes, alcançavam 82,39%. A medida mudou a realidade do país e também a vida financeira das pessoas.
 
Só para podermos comparar, a inflação oficial encerrou 2013 em 5,91%; até maio deste ano, o índice acumulado estava em 3,33% e, em junho, a variação ficou em 0,60%, de acordo com o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). No entanto, mesmo a realidade sendo bem diferente, vejo que a população ainda não compreende a importância de poupar.
 
O comportamento das pessoas não mudou: continuam consumindo por impulso, sem planejamento. E de nada adianta colocar a culpa no sistema, no governo, nos bancos ou nos apelos publicitários. Está na hora de assumir a responsabilidade e procurar se educar financeiramente, mudando os hábitos em relação à administração e ao uso do dinheiro.
 
O problema é ainda maior, porque, grande parte das vezes, essas compras nem ao menos são feitas apenas com os próprios recursos financeiros, mas também por meio de crédito, como empréstimo ou limite do cheque especial. Muitas pessoas já contam com esses valores para viverem e essa prática acaba se transformando em um círculo vicioso.
 
Se boa parcela da população está endividada de forma não planejada, não preciso nem dizer que a quantidade de pessoas que poupam para realizar seus sonhos e ter uma aposentadoria tranquila, por exemplo, é pequena. Se você é um desses que não guarda dinheiro, a minha orientação é que comece agora mesmo a fazer um diagnóstico financeiro e descobrir a sua verdadeira situação: endividado/inadimplente, equilibrado financeiramente ou investidor.
 
A partir daí, fica fácil saber quais gastos estão sendo exagerados e podem ser diminuídos – ou até eliminados – e, a partir daí, começar a redirecionar esses valores para os verdadeiros sonhos. E seja qual for a situação que se encontra, é hora de ter atitude para mudar, se necessário. Pense nisso e projete seus próximos 20 anos, investindo na sua educação financeira e na de sua família.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.