R$ 1 milhão de reais aos 40 anos está bom?

Uma reflexão sobre o nosso verdadeiro objetivo "aqui em baixo".

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Atualmente, qualquer pessoa com R$ 1M em patrimônio conseguido de forma “rápida”, estamparia a capa de uma revista de grande circulação e/ou seria convidado a ser entrevistado por algum importante canal de televisão. Nossos alunos e clientes seguem incansáveis nos seus planos de rentabilizar seus investimentos, trocar de emprego e mesmo cogitar a trabalhar dobrado. Todos querem melhorar de vida!

Durante as minhas entrevistas e conversas com as pessoas, mais e mais estou seguro de que a internet – com informação sendo literalmente transmitida na velocidade da luz – faz com que as pessoas não percebam que elas estão pensando em tudo ao seu redor, menos nelas próprias.

Tomemos o exemplo de um cliente nosso, o Pedro(*). Pedro tem 35 anos, custo mensal de R$ 5.000,00, rendimentos líquidos de R$ 6.500,00, patrimônio total de R$ 600.000,00 e trabalha como gerente pleno em uma grande empresa de tecnologia. Pedro está desesperado! Pedro acha que não conseguirá chegar a R$ 1M de reais antes dos 40 anos.

Saindo de uma abordagem de Coaching e indo para uma mais “terapêutica”, chegamos à conclusão de que Pedro já cumpriu grande parte dos seus objetivos de curto prazo. Quando indagado sobre o futuro, ele confessa que ainda não tem visibilidade sobre o que quer. Quando convidado a parar e reavaliar o caminho (a estratégia), Pedro é enfático… Não há tempo a perder, pois estamos atrasados!

Intrigantemente, Pedro não conhecia Maslow(**) e por isso, fiz questão de apresentá-lo. Passados mais ou menos uns 90 minutos de conversa, Pedro começa a entender que muitos objetivos estavam cumpridos enquanto outros, ele se quer tinha tomado consciência de que faziam parte da sua vida. Mais que fazer parte, fazem sentido.

É verdade que dinheiro compra muita coisa, abre caminhos e proporciona a possibilidade de ser exposto a coisas novas. Neste momento pergunto… Essas coisas novas fazem sentido? São necessárias (alguns julgam essenciais)? Precisamos delas? Nosso objetivo será facilitado com a presença delas?

Minha experiência diz que na verdade a resposta é “Não sabemos, pois não paramos para pensar”.  Sim, é verdade … Qual é o nosso objetivo? O convite para você leitor é parar e pensar se todo esse esforço que você vem empregando ao longo dos anos está te levando para um lugar realmente escolhido conscientemente por você. O importante é saber se devemos nos esforçar mais ou menos para alcançar esses objetivos para depois, avaliar se R$ 1M é muito importante ou pouco importante!

Família, saúde, amizade, respeito e paz. Acredite que nem todos os milhões do mundo vão comprar esses produtos ai !

Boa Semana

Marcelo Rahal Coutinho

mcoutinho@youtrade.pro.br

 

(*) Logicamente o nome verdadeiro não é Pedro.

(**) http://pt.wikipedia.org/wiki/Hierarquia_de_necessidades_de_Maslow

Marcelo Coutinho