Protesto do dia 12/04/2015: o que não se lê na grande mídia

O principal alvo das manifestações do dia 12/04/15 era o PT. Os motivos de protesto contra o partido eram a corrupção e o Foro de São Paulo. As manifestações representam a formação de uma oposição na sociedade civil, essencial para o fortalecimento democrático do Brasil.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Embora tenha havido queda no número de participantes na manifestação do dia 12/04/15 em comparação ao dia 15/03/15, o protesto de ontem foi muito expressivo seja pela adesão ainda muito alta (275.000 pessoas somente em São Paulo, segundo a PM) e pelo nível de consciência das pessoas em relação aos rumos do país.

É importante esclarecer que, ao contrário do que boa parte da imprensa tenta passar, as pessoas não protestavam contra a corrupção como ente abstrato, mas contra pessoas e organizações que praticam a corrupção. Em outras palavras, o alvo dos protestos era o PT e o motivo, a corrupção. Infelizmente, alguns meios de comunicação invertem essa lógica, dizendo que o alvo era a corrupção como um substantivo genérico e abstrato. Isso não faz o menor sentido, dado que ninguém prende a corrupção, mas sim, quem a pratica, ou seja, o corrupto.

Além disso, chama atenção o fato de nenhum meio de comunicação mostrar que milhares de pessoas protestavam contra o Foro de São Paulo, organização fundada pelo PT e o ditador Fidel Castro para implantação de um projeto totalitário na América Latina (socialismo bolivariano) com apoio da ditadura de Hugo Chávez/Nicolás Maduro na Venezuela (veja o vídeo no final do texto para entender a interferência do Foro de São Paulo nas políticas internas dos países latino-americanos).

Por fim, destaco que surge uma oposição de direita na história recente deste país. Não falo desta direita estereotipada pelas esquerdas, mas uma direita (liberal ou conservadora), a qual luta pela manutenção da ordem, respeito às leis, democracia, meritocracia e entende que a menor participação do Estado na economia é a forma mais eficaz de diminuir a corrupção e a pobreza no Brasil. Muitos nas ruas de ontem votaram no PSDB, mais por falta de opção do que pela identificação genuína com seus valores e propostas. Essa direita não tem ainda representação política no país, mas o caminho está aberto para fortalecimento da democracia no Brasil: não existe democracia sem oposição.

https://www.youtube.com/watch?v=eBiqqcPPSSw


Alan Ghani

É economista, mestre e doutor em Finanças pela FEA-USP, com especialização na UTSA (University of Texas at San Antonio). Trabalhou como economista na MCM Consultores e hoje atua como consultor em finanças e economia e também como professor de pós-graduação, MBAs e treinamentos in company.

Leia também