Sobrevivendo ao ambiente inflacionário: a importância do “pricing power”

Pricing power é a capacidade que uma empresa tem de aumentar os preços de seus produtos e/ou serviços ao longo do tempo sem prejudicar sua posição competitiva ou alienar sua base de clientes. Warren Buffett o considera "a decisão mais importante ao avaliar um negócio".

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
(Shutterstock)

Em 30 de setembro, a empresa americana Bed Bath & Beyond (BBBY: NASDAQ) reportou resultados de seu 2º trimestre e sua ação caiu 22% no dia. A varejista é conhecida por suas lojas enormes e descontos agressivos.

No trimestre que terminou em agosto, comparado com o mesmo período do ano passado, a companhia registrou uma queda de 26% em sua receita líquida e uma contração de 6,4 pontos percentuais em sua margem bruta.

Apesar de ter sido impactada por custos ligados à reestruturação pela qual está passando, o time executivo indicou que os maiores responsáveis pelo declínio do negócio foram a inflação e problemas de supply chain.

Deve-se destacar que a empresa apresenta algumas fragilidades que foram chave para a concretização destes resultados: (i) a BBBY é um big box retailer que revende marcas – hoje, marcas próprias ainda têm baixa representatividade nas receitas da empresa; (ii) o canal online e a estratégia omni são pouquíssimo desenvolvidos, a BBBY depende muito da performance de suas lojas físicas; (iii) modelo altamente dependente de descontos.

Essas vulnerabilidades no modelo de negócio da empresa ilustram de forma clara sua dificuldade em repassar preços para o consumidor. Razão pela qual sofre, e tende a sofrer, com aumento da inflação e dos custos de suprimento, agravado pelo ponto (iii).

Enquanto o item (i) demonstra o baixo nível de diferenciação da empresa em relação aos seus competidores e um modelo sem vantagens competitivas, o (ii) ressalta uma estrutura operacional de custos mais altos e com menor espaço para manobras diante de uma disrupção de supply chain.

Este resultado mais recente e a subsequente queda aguda do preço da ação servem como bom exemplo para entender quais companhias estão mais em risco em meio ao cenário atual.

Inevitavelmente, nesses períodos, os negócios que não conseguem repassar, parcial ou integralmente, seu aumento de custos ao consumidor, sofrerão uma queda de lucratividade.

Entende-se, diante disso, que os negócios mais resilientes a estes choques são aqueles que detém pricing power.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pricing power é a capacidade que uma empresa tem de aumentar os preços de seus produtos e/ou serviços ao longo do tempo sem prejudicar sua posição competitiva ou alienar sua base de clientes. Warren Buffett o considera “the single most important decision in evaluating a business” (a decisão mais importante ao avaliar um negócio).

Esse poder pode ser encontrado em diferentes setores e negócios. Talvez o exemplo mais amplamente conhecido e mais intuitivamente identificado seja o dos itens de luxo. Nesse caso, o poder tem origem no valor da marca associada àquele produto e na exclusividade do item.

Nota-se, ainda, que um preço elevado é parte fundamental da diferenciação de sua base de consumidores, portanto esta tende a ser menos sensível à elevação do preço.

Outro exemplo menos falado, mas com enorme relevância, é do setor de essências, fragrâncias e sabores. As companhias desse segmento derivam seu pricing power do fato de representarem uma parte pequena de uma grande cadeia produtiva de seus clientes.

Trata-se de um elemento imprescindível para os compradores e, dada a baixa relevância de seu custo específico diante do custo total de produção, um aumento em seus preços resulta em um aumento marginal na cadeia, portanto esta também é pouco resistente ao aumento dos preços.

É importante acrescentar que empresas detentoras de pricing power não aumentam seus preços apenas diante de uma pressão de custos, elas conseguem fazê-lo de forma contínua mesmo sem nenhuma pressão inflacionária e é justamente esse ponto que as diferencia.

Vale esclarecer, ainda, que o processo de análise de ações não deve ser entendido como uma mera identificação de empresas com pricing power. Essa identificação é um passo importante no entendimento do modelo de negócio da companhia, mas não deve ser confundido como um atalho para alocação.

Investir em ações de companhias com pricing power não é garantia de um investimento rentável, existem muitos fatores que influenciam a performance do negócio e da ação para além deste.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

É importante avaliar os riscos competitivos, a dinâmica do setor, os padrões de governança da empresa, o alinhamento entre os executivos, conselho e acionistas minoritários e, claro, como se encontra o preço da ação em relação ao seu valor.

 

Opinião - Especialistas convidados

Um espaço para a opinião de especialistas convidados pelo InfoMoney. Os textos são de responsabilidade dos respectivos autores e não necessariamente refletem a visão do InfoMoney ou de seus controladores.

Leia também