Emocional: o fator decisivo para ser um trader de sucesso

Além de um plano técnico, o trader precisa gerenciar sua gangorra de emoções entre medo e ganância. Tudo deve estar em equilíbrio para ser consistente e ter sucesso nesse mercado

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre
bolsa mercados trader operador brooker bolsa ações índices telas
(Getty Images)

A diferença entre os traders que sobrevivem e os que fracassam neste mercado está ligada ao fator emocional.

Por mais que, no início, os traders aprendam a melhor técnica e treinem no simulador, ao chegar na conta real para operar eles se deparam com o fator emocional, que exigirá um novo aprendizado, o mais difícil deles.

Quando um trader começa a operar para valer, seus instintos o fazem experimentar sentimentos como medo e ganância. Muitas vezes são eles que passam a tomar as decisões, criando um perigo para seu desempenho como trader.

De nada adianta o plano mais fabuloso do mundo se as emoções vão impedir que ele seja seguido. No momento do trade, se as emoções tomam conta, cada atitude se torna uma aposta baseada nas emoções.

Como seres humanos, não gostamos de perder, especialmente quando o assunto é dinheiro, já que precisamos dele para pagar nossas contas e realizar nossos sonhos.

Mas a verdade é que nunca vamos acertar todas as operações no mercado e teremos de aprender a perder dinheiro. Porém, o que os traders profissionais têm desenvolvido é a capacidade de perder com gestão de risco e ter uma perda menor em relação aos ganhos obtidos.

No mercado financeiro, quando começamos, temos as emoções “trocadas”. Como assim? Ao abrir um trade e o mercado ir contra a posição, nós ficamos com esperança de que ele vá voltar e conseguiremos recuperar.

A ganância e a recusa em não aceitar o prejuízo nos leva a segurar um trade e acabar tendo uma grande perda, muitas vezes levando a zerar tudo que temos na conta.

Esse é o medo de aceitar estar errado. Ninguém gosta de tomar decisões ruins. Mas elas acontecem e fazem parte da vida. O medo surge por não sabermos o que estamos fazendo. Tudo o que é feito pela primeira vez tende a nos fazer sentir medo.

PUBLICIDADE

Ao iniciar uma operação de compra ou venda sem a segurança de uma estratégia bem definida, o trader faz a operação ser baseada exclusivamente na euforia, o que acaba resultando em uma aposta e não em uma operação fundamentada em probabilidades e chances de acerto.

Mesmo quando a operação está dando certo, você também tem medo. Ou seja, o fato de estarmos em um trade que está acompanhando a nossa estratégia pode trazer aquele medo de perder. Afinal, esperamos tanto para ver a cor verde e o lucro que acabamos com medo de perder o que está ali.

Esse medo de que o dinheiro suma é o que faz você encerrar uma operação cedo demais. Quando a operação está dando certo, você deveria ter esperança de que a tendência vai continuar e mais lucros virão. Mas temos receios e cometemos um dos piores erros de um trader, que é cortar o lucro, prejudicando assim o sucesso na operação.

Outro vilão que traz fracasso ao trader é a ganância. Afinal, ela traz a ideia de que nada nunca é suficiente. O ser humano é um eterno insatisfeito. Por isso, muitas vezes não se contenta com os ganhos atuais e está sempre querendo mais.

Alguns traders pensam quer irão enriquecer rapidamente, acham que será tudo naquele dia e não param no momento exato, pois acreditam que o mercado vai continuar indo a seu favor. Como diz o astronauta Buzz Lightyear, dos filmes da franquia Toy Story: “Ao infinito e além”.

A consequência disso é ter que devolver grande parte, quando não todo o lucro que já foi conquistado. A verdade é que até quem opera como day trader precisa ter uma visão de longo prazo para os seus ganhos. Não adianta ter ganância.

Ninguém fica rico em um dia. O day trader precisa ter constância e o longo prazo é que fará ele se manter vivo no mercado. Embora sejam operações curtas no mesmo dia, os resultados aparecem ao longo do tempo, com a frequência na realização desses negócios.

Além de um plano técnico, o trader precisa gerenciar sua gangorra de emoções entre medo e ganância. Tudo deve estar em equilíbrio para ser consistente e ter sucesso nesse mercado.

PUBLICIDADE

O importante é saber identificar qual é o gatilho que leva a ações baseadas em emoções. Para administrar isso, vou deixar aqui algumas dicas:

1. Ter um plano

Quem deve operar é o plano. Ele vai evitar qualquer impulso emocional como: super alavancagem, não encerrar trader perdedores ou dobrar em posições perdedoras.

O plano deve detalhar como será a ação desde o momento em que inicia até o momento em que encerra uma posição, não deixando espaço para as emoções tomarem o controle.

Um plano de trade deve ter bem definido onde é sua entrada e saída, estipular quanto se está disposto a perder caso a operação dê errado e qual será o ponto de saída, caso ela ocorra da maneira desejada.

Sem estabelecer esses dois pontos, suas emoções podem te dominar e você certamente terá perdas.

Com um plano consistente, evita-se o risco de vender cedo demais ou até tarde demais. Dessa forma, as emoções não dominarão as decisões.

2. Começar operando pequeno

Muitas pessoas querem enriquecer logo e isso as leva a utilizar contratos muito além do que o financeiro da sua conta permite.

Isso causa um enorme estresse e tem o potencial de levar a pessoa a tomar decisões ruins, que afetarão negativamente sua operação. Por isso, é crucial mantê-las sob controle.

3. Manter um diário de trade

PUBLICIDADE

Nesse diário devem ser registradas as operações e a análise de tudo o que aconteceu no trade. Ser day trader muitas vezes nos faz executar operações muito rápidas, pois o mercado muda a todo o momento.

O diário permite identificar falhas técnicas e, principalmente, psicológicas. Sem identificar onde melhorar, não há como atingir alta performance no trade.

Profissão Broker: série do InfoMoney mostra como entrar para uma das profissões mais estimulantes e bem remuneradas do mercado financeiro em 2021. Clique aqui para assistir

Ariane Campolim

Ariane Campolim é produtora de conteúdo na Clear Corretora. Atua como investidora desde 2015, principalmente como trader. Antes de trabalhar no setor, ela foi analista de tecnologia do Itaú Unibanco. É formada em física médica pela UNESP e cursou pós-graduação em negócios e gestão de pessoas no Insper

Leia também