Resposta de Merkel faz jovem palestina chorar – e gera polêmica nas redes sociais

Discurso da chanceler alemã para responder a drama de adolescente refugiada causa choro; situação gerou debate nas redes sociais

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A chanceler da Alemanha Angela Merkel enfrentou uma saia-justa na última quarta-feira (15) – e também recebeu muitas críticas – ao conversar com uma jovem palestina na televisão. 

Angela levou uma menina palestina aos prantos ao defender a sua política de imigração e explicar que alguns terão que retornar aos seus países. Uma adolescente contou em um alemão perfeito a sua fácil integração na escola na qual chegou, há quatro anos. 

A adolescente, chamada Reem, disse que pode ser deportada a qualquer momento para o Líbano, pois recebeu apenas asilo temporário. “Eu tenho objetivos como qualquer outra pessoa… Eu quero estudar como qualquer outra pessoa… É muito ruim ver como os outros podem aproveitar a vida, e eu não”, disse a Reem, que chegou a afirmar que gostaria de frequentar uma universidade. 

Merkel disse que entendia Reem, mas afirmou que “a política, às vezes, é complicada”. Ela afirmou que a Alemanha não conseguiria administrar o fluxo de pessoas se todos os palestinos viessem para o país.

“Não podemos pedir para todos virem para a Alemanha. Não conseguiríamos dar conta”, explicou.

Em um momento da fala, Reem começa a chorar, e Merkel, visivelmente constrangida, se aproximou dela. “Você fez tudo certo, você foi muito bem”, disse. 

O apresentador, também aparentando constrangimento, afirmou que não era esse motivo que levou a jovem às lágrimas. Merkel ressalta que entre 6 mil e 7 mil jovens refugiados vivem na Alemanha na mesma situação e que a política precisa se esforçar para melhorar as condições no países de origem dessas pessoas. 

Porém, o caso rendeu críticas nas redes sociais a Merkel. No Twitter, usuários criaram a hashtag #MerkelStreichelt (afago da Merkel na tradução).

Confira o vídeo: 

Lara Rizério

Editora de mercados do InfoMoney, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional, além de ficar bem de olho nos desdobramentos políticos e em seus efeitos para os investidores.

Leia também