Estatística sobre vitória de Aécio é realmente confiável? Na Copa, ela errou – e bem feio

Método acertou toda as eleições nos EUA e mostrou vitória de Aécio, mas não previu os 7 a 1 que a Alemanha aplicou sobre o Brasil; aliás, para ele, a seleção canarinho seria a campeã

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO –  A consultoria Macrométrica realizou um estudo baseado na última pesquisa Ibope e mostrou que com a eleição indo para o segundo turno o candidato do PSDB, Aécio Neves deve ganhar da atual presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo a consultoria, a vitória ocorreria por uma vantagem de 2 a 3,6 pontos percentuais.

A Macrométrica é uma consultoria que mantém público os seus métodos de análise. Para este caso, ela utilizou o esquema de Nate Silver, editor-chefe do site “FiveThirtyEight”. Na eleição presidencial americana de 2012, Silver acertou o resultado de todos os 50 Estados.

Apesar do bom aproveitamento nas eleições dos EUA, vale uma lembrança. Em julho, o guru das estatísticas Nate Silver também fez sua análise para a Copa do Mundo.

E em julho, as notícias eram boas para o Brasil segundo a sua análise, principalmente para o dérbi Brasil e Alemanha: “mesmo sem Neymar e Thiago Silva, a seleção continua sendo a principal candidata a ganhar a Copa do Mundo”, afirmou no dia 7 de julho. De acordo com ele, o Brasil tem uma chance entre 45% e 47% de ser campeão, probabilidade esta que aumentaria para 54% se o time titular entrasse completo em campo, conforme ressaltou em um artigo no site FiveThirtyEight. 

Com Neymar e Thiago Silva, o Brasil teria uma chance de 73% de vencer a Alemanha, aponta o estatístico, enquanto essa chance caiu para 65% a 68% sem eles. 

Não é preciso puxar muito a memória para lembrar o que realmente aconteceu naquele fatídico dia 8 de julho: a Alemanha “passeou” em campo, em um 7 a 1 memorável contra a seleção canarinho. Assim, vale lembrar, as estatísticas sempre apontam para probabilidades: até outubro, novas variáveis devem tomar conta do jogo político. Até lá, tudo pode acontecer. 


Lara Rizério

Editora de mercados do InfoMoney, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional, além de ficar bem de olho nos desdobramentos políticos e em seus efeitos para os investidores.

Leia também