Enquanto alguns recebem R$ 35 para ato pró-Dilma, outro protesto terá segurança particular

Em São Paulo, alguns manifestantes receberam R$ 35 para participar de protesto, segundo o Valor; já de acordo com o jornal O Tempo, no domingo, haverá segurança particular em alguns protestos em BH

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – As manifestações tomam as ruas no final desta semana e já geram situações bastante curiosas, tanto para aqueles protestos contra a presidente Dilma quanto a favor dela. 

Em São Paulo, centenas de manifestantes se reúnem, neste momento, na frente da sede da Petrobras e também no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) para participar do Dia Nacional de Luta em Defesa dos Direitos da Classe Trabalhadora, da Petrobras, da Democracia e da Reforma Política.

O ato teve início às 14h (horário de Brasília) com uma assembleia de professores estaduais no vão livre do Masp e às 15h na frente da Petrobras. Por volta das 16h, manifestantes de ambos os atos vão se reunir para caminhar até a Praça da República, no centro da capital paulista.

E, de acordo com informações do jornal Valor Econômico, de manhã, alguns manifestantes com um balão gigante da CUT (Central Única de Trabalhadores) afirmaram ter recebido R$ 35 para participar da manifestação.

O jornal cita Edmilson Barbosa, desempregado, que foi na manifestação como um “bico” para ajudar em sua renda. Ele disse que um ônibus pegou os trabalhadores no bairro do Brás e os levou até a Paulista.

Enquanto isso, reportagem do jornal mineiro O Tempo destacou que, ainda que a manifestação contra o governo Dilma que irá acontecer no próximo domingo, na praça da Liberdade, em Belo Horizonte, terá segurança particular. 

Segundo o jornal e citando a coordenadora do movimento Vem Pra Rua em Minas Gerais, Carla Girodo, cerca de 50 lutadores de artes marciais foram chamadas para “garantir a paz” caso haja confusção.

Mas, segundo a coordenadora do Vem pra Rua, os seguranças irão agir em casos extremos.

Lara Rizério

Editora de mercados do InfoMoney, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional, além de ficar bem de olho nos desdobramentos políticos e em seus efeitos para os investidores.

Leia também