Dilma no trono de ferro: conheça o Game of Thrones da política brasileira

A Ahead Marketing, empresa especializada em marketing político, criou um mapa interativo para comparar o cenário político brasileiro com o apresentado em Game of Thrones

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após 10 meses, Game of Thrones voltou em sua quinta temporada no último final de semana e é um dos assuntos mais comentados atualmente. Para quem conhece a série ou os livros saber que a política é o tema central da história, com as diferentes famílias do reino de Westeros tramando seus planos para conquistar o poder. Olhando deste ponto de vista, não parece muito diferente de qualquer ambiente político no mundo.

Foi pensando nisso que a Ahead Marketing, empresa especializada em marketing político, criou um mapa interativo para comparar o cenário político brasileiro com o apresentado em Game of Thrones. No mapa é possível ver as relações entre cada “família” e como são essas interações, sejam elas políticas ou por afinidade. Na parte de cima são listados os principais membros do mundo político e é possível clicar para conhecer um pouco da história de cada um.

O primeiro mapa da Ahead saiu em 2013 (quando a série estava na terceira temporada) e necessitava de uma atualização. Na versão deste ano, foram incluídas novas casas como Cunha, Calheiros e Alckmin, enquanto as casas de Sarney e Arraes foram retiradas. Vale lembrar ainda que esta não é a primeira vez que a política brasileira é comparada com uma série, sendo que nos últimos meses o cenário doméstico tem sido muito relacionado com House of Cards, da Netflix. Para conferir o mapa de Game of Thrones da política brasileira clique aqui.

Rodrigo Tolotti

Repórter de mercados do InfoMoney, escreve matérias sobre ações, câmbio, empresas, economia e política. Responsável pelo programa “Bloco Cripto” e outros assuntos relacionados à criptomoedas.

Leia também