Após “sumir” do twitter, perfil que satirizava Petrobras volta ao ar

Conta que satiriza a estatal havia sido suspensa no início deste mês apenas 10 dias depois de ter sido criada

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Para a alegria de mais de 800 seguidores, a conta fake do Twitter que satiriza a maior empresa do País voltou ao ar esta semana. Apelidado de @ConselhoDaBR, o perfil havia sido suspenso do microblog na última sexta-feira (2), apenas 10 dias após ter sido criado. As atividades foram retomadas esta semana.

A suspensão temporária, no entanto, não retirou o tom ácido do twitter, que desde sua criação traz críticas ferrenhas à Petrobras (PETR3; PETR4) e ao governo. Em um dos últimos posts, o @conselhoDaBR comenta: “a venda da ‘Petrobras África’ internamente é conhecida como ‘uma mão lava a outra’, o BTG ajudou o governo com o Panamericano e nós o BTG”.

Entre os mais antigos, antes de ter sido suspenso, há comentários como: “avisa lá na contabilidade que ao final do ano teremos de exportar mais uma plataforma para ajudar na balança comercial, a coisa está feia!”. E outro: “mais importante que achar Petróleo embaixo da terra é achar dinheiro embaixo do colchão”.

As piadas e críticas diretas ao governo e à estatal, no entanto, parecem ter agradado. No dia em que voltou ao ar, em 4 de maio, o @ConselhoDaBR deixou uma mensagem aos seus seguidores. Em resposta, vieram alguns comentários como “o Twitter já não era mais a mesma coisa sem vocês” e “sejam muito bem-vindos novamente”. 

Embora esteja agradando, a identidade do dono da conta ainda permanece anonima, mas não esconde que trata-se de alguém com bastante conhecimento sobre a Petrobras.

Vale mencionar que esta não foi a primeira vez que uma conta “fake” envolvendo alguém do mercado financeiro brasileiro foi suspensa do Twitter sem nenhum explicação oficial. No ano passado, o @MesadoBTG foi suspenso inesperadamente. A conta satirizava o estilo agressivo e competitivo dos funcionários do banco.

Paula Barra

Leia também