Crianças, pais e as questões sobre o dinheiro

A forma como os pais lidam com as finanças influencia na relação do seu filho com o dinheiro

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

A aprendizagem é o caminho mais eficaz para que seu pequeno torne-se um adulto com inteligência financeira. O primeiro local de aprendizagem é em casa e os primeiros mestres são os pais.

Esse artigo traz algumas perguntas, principalmente para quem tem criança ou adolescente em casa. Mesmo com muitas coisas para fazer os pais precisam cuidar também da educação financeira de seus filhos.

A educação financeira acontece naturalmente através dos exemplos e da forma como os pais lidam com as questões relacionadas ao dinheiro. Sabendo disso, analise como você trata as questões relacionadas a esse universo, pois seus filhos estão construindo seu modelo financeiro a partir de tudo o que observam dentro de casa…

Alguns questionamentos direcionarão você nessa analise familiar:

  • Qual é a sua reação quando seu filho pergunta algo relacionado a dinheiro?
  • O clima familiar é “pesado” na hora de pagar as contas ou falar sobre finanças?
  • Costumam discutir por dinheiro, contas ou compras?
  • Como anda a questão do consumo consciente da família?
  • Costumam fazer o planejamento financeiro mensal? Envolvem as crianças nesse momento?
  • Qual foi a última vez que levou seu filho às compras e ele te ajudou na pesquisa de preços ou na escolha do melhor produto?
  • Existem dívidas por conta do consumo exagerado?
  • Fornece mesada para seu filho? Ele é orientado como utilizá-la bem?
  • Quando a mesada acaba antes da hora, o que você faz?
  • Você lida bem com as questões  financeiras?

Perguntas muitas vezes são incomodas!  Mas, sem essa análise fica mais difícil perceber como anda a educação financeira na família. Lembre-se: as crianças estão muito atentas a cada atitude do adulto. Busque desenvolver a inteligência financeira delas através de conversas informais sobre conceitos como à vista, a prazo, desconto, renda, mensalidade. Compare valores mostrando a relação custo-benefício, fale da importância de poupar e dos perigos do consumismo. Conversem sobre dinheiro sem medo! Faça isso dentro de um clima agradável e respeitando a idade de cada um, as explicações são passadas para os menores de forma simples e na medida em que vão crescendo os mesmos conceitos serão aprofundados.

Não adianta exigir atitudes maduras de seu filho, por exemplo, quando ele vai morar sozinho na época da faculdade. Não adianta ficar irritado quando a fatura do cartão de crédito dele vem alta. Inútil pedir para que ele cuide bem do tênis novo, da mochila nova e que não desperdice comida… Eu pergunto para você: qual foi o modelo que ele assimilou nos primeiros anos da infância? Quais os valores que foram absorvidos a cada dia? Quais os ensinamentos financeiros e ecológicos que você transmitiu?

O mundo está cada vez mais exigente e a vida precisa ser vivida com sabedoria. Um adulto consciente e responsável é formado sob as bases sólidas do amor, carinho, compreensão e conhecimentos corretos sobre as questões práticas da nossa sociedade.

Abraço!

Bernadette Vilhena