Alimentação x Dinheiro

Uma comparação sobre a forma de pensar e agir que pode esclarecer porque erramos tanto quando o assunto é dinheiro.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

A consciência é o fator fundamental que precisa ser mudado pelos próprios agentes e é aí que está o primeiro impasse: querer mudar de verdade!

Sou vegetariana e, quando me decidi por este caminho, “bati o martelo” e aprendi a lidar com “brincadeiras” preconceituosas, a frequentar churrascos sem me incomodar e aproveitar os amigos exatamente da mesma forma que antes, mantendo-me firme no meu propósito; aprendi a lidar com as adversidades e sou feliz assim!

Neste momento, estou passando por uma fase realmente especial da vida de qualquer mulher: estou no final de uma gravidez e, por conta disso, preciso aprender a comer menos. Os órgãos estão todos apertados, o esôfago lá em cima; e comer como antes, é pedir para passar mal.

Apesar de ter conhecimento da minha situação e estar consciente de que é necessário reduzir a quantidade de comida a ser ingerida, não é o que estou fazendo, infelizmente.

Como trabalho com finanças, passei a refletir sobre um fator que posso relacionar essa minha situação à questão do “mudar a forma de pensar em relação ao dinheiro” e quero compartilhar com você, leitor:

Eu sei o que devo fazer, mas… fica para a próxima refeição… fica para a noite, fica para amanhã e assim estão sendo todos os meses da gravidez: procrastinação.

Por analogia é assim que as pessoas também levam suas vidas financeiras: depois eu começo, depois eu faço, só por hoje, hoje eu mereço, amanhã, hoje é um dia especial, depois, depois, depois e depois.

Daí, então, o tempo passa e as pessoas não elaboraram seus planejamentos financeiros, os vermelhos no banco aparecem, os objetivos ficam esquecidos e, um dia, será tarde demais. Não será possível recuperar o tempo perdido, os sonhos não vividos, as possibilidades perdidas.

Saber o que é certo, quase todo mundo sabe, mas fazer… só depende de você! E tem que ser hoje, desde que você assuma um compromisso consigo mesmo e não “da boca pra fora”.

Alessandra Coser