Marvel arrisca e acerta novamente: Homem-Formiga é mais divertido que Vingadores 2

Estúdio traz novo personagem para o cinema e consegue fazer uma aventura engraçada e cheia de cenas de ação extremamente bem feitas

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – No ano passado, a Marvel decidiu, pela primeira vez desde que iniciou seu universo no cinema, arriscar em uma produção que tinha grande potencial para dar errado: Guardiões da Galáxia. E deu certo. O filme foi um sucesso de crítica e público, fincando com umas das maiores bilheterias da 2014. Agora o estúdio decidiu arriscar de novo, e mais uma vez não decepcionou.

Chega aos cinemas nesta quinta-feira (16) Homem-Formiga. Uma grande novidade para quem não é fã de quadrinhos, e que apesar de nunca ter tido grande espaço, tem um papel importante na história da Marvel. O desafio agora para o estúdio é conseguir convencer um público que não acompanha as HQs de que um herói que fica pequeno e conversa com formiga é capaz de ser um ótimo filme.

Assim como em Guardiões da Galáxia, esta nova aventura criada pela “Casa das Ideias” (apelido carinhoso dado à Marvel) tem uma trama que consegue evitar as cansativas referências ao resto de seu universo no cinema que o estúdio se obriga a colocar todo tempo em seus filmes. Nas poucas vezes que Homem-Formiga se refere à outros heróis e fatos dos outros filmes, é tudo tão natural e de forma tão fluída que se encaixa perfeitamente na história.

Este é um filme típico de assalto, onde Scott Lang (vivido por Paul Rudd) decide largar os dias de assaltante após ficar preso. Com dificuldades de conseguir dinheiro para cuidar de sua filha, ele acaba escolhido pelo cientista Hank Pym (Michael Douglas) para vestir a roupa do Homem-Formiga, que permite a ele ficar pequeno e conversar com formigas, para roubar uma roupa chamada de Jaqueta Amarela, produzida pelo pupilo de Pym, Darren Cross, que pretende vender a tecnologia para uso bélico.

Apesar de ser uma história de origem, o filme consegue dar um ótimo andamento para o roteiro, sem perder muito tempo explicando o passado dos personagens (que acabam sendo apresentados mais por flashblacks), o longa foca bastante nas cenas de ação, que por sinal são muito bem feitas com um ótimo uso da capacidade do herói de ficar pequeno e voltar ao tamanho normal com rapidez.

Falando no herói, Paul Rudd rouba a cena com sua segurança e suas piadas certeiras. Para quem já conhece o personagem, o filme conta com diversas referências e dicas do que podemos ver pela frente. Talvez seja pela expectativa mais baixa, mas Homem-Formiga consegue divertir muito mais que o mais recente Vingadores, que apesar de ser bom, decepcionou em alguns pontos.

PS: Para quem ainda não se acostumou, é bom ficar até o final dos créditos para ver duas cenas extras espetaculares.

Rodrigo Tolotti

Repórter de mercados do InfoMoney, escreve matérias sobre ações, câmbio, empresas, economia e política. Responsável pelo programa “Bloco Cripto” e outros assuntos relacionados à criptomoedas.