Em cielo

Como comprar ações da Cielo (CIEL3); passo a passo para investir

As maquininhas da empresa capturam um valor em compras equivalente a 9% do PIB brasileiro. Saiba o que está em jogo no setor de meios de pagamento e como comprar ações da Cielo.

Cielo
(Shutterstock)

A Cielo é a adquirente líder do setor de cartões de pagamento no mercado brasileiro e na América Latina. Seu papel é conectar as lojas que realizam as vendas com as bandeiras - como Visa e Mastercard - e as instituições financeiras emissoras de cartões. Sendo um mercado em plena transformação, muitos investidores têm tido dúvidas quanto a comprar ações da Cielo neste momento.

Atualmente, um valor equivalente a 9% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro é capturado pelas maquininhas da Cielo. Como elas estão presentes no país inteiro, a base de dados capturados pela Cielo envolve 1,2 milhão de pontos de venda ativos e mais de 6 bilhões de transações feitas a cada ano.

O que saber antes de comprar 

Os últimos anos têm sido de mudanças profundas no segmento de meios de pagamento eletrônicos - e as ações da Cielo sentiram o baque disso. Tanto é que o valor de mercado da empresa passou por variações grandes, como mostra o gráfico abaixo:

Antes de comprar ações da Cielo, é importante que você conheça os fatores de influência sobre o desempenho dos seus papéis. Veja os três principais abaixo:

Guerra das maquininhas

O surgimento de novas empresas de meios de pagamento eletrônicos provocou um grande movimento no mercado. Por conta do aumento da concorrência, em um período relativamente curto, o que se vê atualmente é um ambiente de “guerra das maquininhas”. Esse é o fator que mais têm tido impacto nas cotações das ações da Cielo.

Um após o outro, os grandes players do setor passaram a oferecer vantagens adicionais aos lojistas. Um exemplo é a redução do prazo de repasse dos pagamentos aos comerciantes que vendem no cartão. Outro, a diminuição nas taxas e comissões cobradas por empresas como a Cielo.

Se, por um lado, isso ajuda a assegurar a participação de mercado, por outro tem impacto sobre as margens das empresas. Para fazer frente ao movimento, companhias como a Cielo têm tido de realizar grandes investimentos, o que pressiona o caixa no curto prazo.

Tanto é que em maio de 2019 a Cielo fez dois anúncios que desanimaram o mercado. O primeiro foi a retirada das projeções de lucro (guidance) para o ano. Inicialmente, a empresa estimava um ganho líquido de R$ 2,3 bilhões a R$ 2,6 bilhões. A decisão de abandonar o guidance foi interpretada como uma admissão de que o lucro provavelmente será menor.

O segundo anúncio foi a redução da distribuição de proventos aos acionistas, de 70% para 30% do lucro líquido em 2019. Nos últimos anos, o padrão de pagamento de dividendos aos investidores da Cielo foi o seguinte:

Ano Mês Valor por ação (R$) Tipo
2015 Setembro 0,22 Dividendos
Setembro 0,06 JCP
Março 0,21 Dividendos
Março 0,07 JCP
2016 Setembro 0,17 Dividendos
Setembro 0,11 JCP
Março 0,17 Dividendos
Março 0,11 JCP
2017 Setembro 0,37 Dividendos
Setembro 0,12 JCP
Março 0,39 Dividendos
Março 0,12 JCP
2018 Setembro 0,53 Dividendos
Setembro 0,12 JCP
Dezembro 0,06 JCP
Dezembro 0,27 Dividendos
Março 0,06 JCP
Março 0,26 Dividendos
2019 Junho 0,08 Dividendos
Junho 0,05 JCP

 

Uso de cartões de débito e crédito

A adoção cada vez maior de meios de pagamento eletrônicos pelos brasileiros é uma boa notícia para a Cielo. No primeiro trimestre de 2019, as compras feitas com cartões de crédito, débito e pré-pagos aumentaram 17%, segundo a Abecs, associação que representa o setor. Para o ano, estima-se um avanço de 15% a 17%.

Entre janeiro e março, os brasileiros movimentaram R$ 416 bilhões com cartões, o que equivale a praticamente 25% Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Dez anos atrás, essa mesma comparação resultava em cerca de 11%.

Atualmente, os meios eletrônicos representam pouco menos de 40% dos pagamento das famílias - o mercado estima que a proporção possa chegar a 60%.

Atividade econômica

O desempenho geral da economia tem relação com a performance das ações da Cielo por um motivo simples: quanto mais aquecido está o país, mais emprego e renda os brasileiros têm. E isso se reflete diretamente da disposição deles para fazer compras - e pagar usando um cartão de crédito ou de débito.

Passo a passo para comprar 

Confira as três etapas fundamentais para começar a investir na empresa:

1. Pense nos seus objetivos de investimento

Qual é seu objetivo para os recursos que pretende investir nas ações da Cielo? Existe uma diferença muito grande entre as principais estratégias. É possível investir de olho nos ganhos de curto prazo. É o caso quando as cotações recuam de maneira repentina, em resposta a um evento imediato que não tenha impacto para a empresa no futuro. Essa pode ser uma chance de comprar as ações a um preço mais baixo.

É uma situação diferente de quem compra ações visando o longo prazo. Normalmente essas pessoas têm a motivação de se tornar sócios de fato da empresa - e ganhar dinheiro conforme ela cresce e lucra. 

Só depois de escolher uma dessas duas estratégias distintas você será capaz de definir quando, quanto e a que preço comprar ações da Cielo.

2. Estude perspectivas para a Cielo

A Cielo está inserida em um mercado em profunda transformação. Quais são as chances de que a empresa consiga se posicionar para crescer nele? Sozinho, você talvez não consiga responder essa pergunta. Então, busque ajuda em corretoras e casas de análise, que costumam disponibilizar relatórios de análise das companhias listadas na bolsa de valores.

No material, os analistas normalmente traçam um perfil das empresas e também avaliam seus resultados financeiros. Depois, emitem uma opinião: se acham que é hora de comprar ou de vender as ações. Também podem indicar “manter”. Em linhas gerais, para quem não tem os papéis na carteira, é um sinal para evitar comprá-las naquele momento.

Essa visão geral sobre as perspectivas para as ações muda bastante com o tempo. No início do segundo semestre de 2019, apenas um quarto dos analistas sugeriam comprar as ações da Cielo. O restante optava por manter ou vender.

3. Tenha uma conta em uma corretora

Para enviar ordens de compra e de venda para o pregão, os investidores precisam da intermediação de uma corretora. Por isso, é necessário ter conta aberta em uma delas para investir nas ações da Cielo. Existem mais de 80 instituições autorizadas pela B3.

É importante verificar o valor das taxas de corretagem antes de escolher a sua corretora. Trata-se de um valor cobrado cada vez que alguém compra ou vende uma ação. Pode ser fixo, em reais, ou um percentual sobre a operação. Há casas, como a Clear, que não fazem essa cobrança.  

Para que a corretora execute a sua ordem de comprar ações da Cielo, é necessário colocar dinheiro na conta. Isso é feito por meio de uma transferência (TED ou DOC) a partir do seu banco. Depois, basta acessar o home broker - sistema de negociação online - ou contatar a mesa de operações pelo telefone para passar seu pedido.

Será preciso informar a quantidade de ações que pretende adquirir e a que preço. Então, é só esperar até um investidor que possua papéis da Cielo aceitar a oferta.

 Invista em ações com taxa ZERO de corretagem: abra uma conta gratuita na Clear

 

Tudo sobre:  Ações  

Contato