Em celesc

Celesc rejeita renovação de concessões no âmbito da MP 579, diz Valor

A diretoria e o conselho de administração da companhia se recusaram a renovar as concessões

subestação de energia elétrica
(Getty Images)

SÃO PAULO - A diretoria e o conselho de administração da Celesc (CLSC4) não aceitaram a proposta de renovação das concessões feita pelo governo no âmbito da Medida Provisória 579, de acordo com matéria publicada no jornal Valor Econômico

Segundo a publicação, apenas se abstiveram de votar o representante da Fundação Celos de Seguridade, Milton Garcia, e o representante dos trabalhadores, Jair Maurício Fonseca.

A Celesc tem sete PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) cujas concessões estão vencendo. O governo de Santa Catarina é o maior acionista da companhia, com 20,2% do capital total, seguido pela Previ (14,5%) e a Eletrobras (10,8%). A Fundação Celesc de Seguridade Social (Celos) tem 3,4%. A Celesc tem 76,1% de ações no mercado.

 

Contato