Comportamento

Voltou de férias e precisa se adaptar? Saiba como recuperar o ânimo

Profissionais que retornam ao trabalho precisam programar a execução de suas atividades para retomar a rotina; prazo de adaptação é de 15 dias

SÃO PAULO – Que as férias servem para o profissional descansar e recuperar suas energias todos sabem, o que poucos têm em mente, no entanto, é que retornar ao trabalho não costuma ser tão fácil assim. Além de encarar o fato de estar fora do ritmo, o colaborador precisa, já no seu primeiro dia, se deparar com uma infinidade de e-mails em sua caixa de entrada, atender telefonemas e ainda checar demandas internas e externas que há tempos aguardam uma resolução.

Mas será possível fazer tudo isso em apenas 8 horas de trabalho? Obviamente, não. Por isso, antes de retornar às suas atividades, o profissional precisa se conscientizar que sua adaptação à rotina acontecerá num prazo de 15 dias.

“Se ele achar que conseguirá retomar tudo em apenas um dia ele se sentirá frustrado no final do expediente. O empregado precisa aprender a trabalhar a própria ansiedade e programar suas atividades por períodos. Aos poucos, naturalmente, ele conseguirá voltar ao seu dia a dia”, diz a coordenadora Regional Sudeste da De Bernt Entschev Human Capital, Juliana Gomes.

PUBLICIDADE

Um dia de cada vez
Uma boa dica para quem acaba de retomar sua rotina profissional consiste na programação das próprias atividades. “O colaborador deve, primeiramente, conversar com contratado que ficou encarregado de substituí-lo para saber quais eventos ocorreram na sua ausência, bem como quais foram as soluções adotadas pelo time para resolver as questões”, explica o diretor Executivo da Thomas Case & Associados/Case Consultores, Marshal Raffa.

Feito isso, é hora então de checar os e-mail’s e dar os feedbacks necessários. “Ele deve se organizar quanto aos retornos, e isso, desde o envio de e-mail e telefonemas”, diz Raffa.

Normalmente, no primeiro dia de retorno ao trabalho o profissional deve se dedicar a atualização de sua rotina. Já a partir do segundo, ele deve dar andamento aos processos. “Se ele se planejou corretamente para sair de férias e não deixou nenhum assunto pendente, certamente seu retorno será mais tranquilo”, diz o diretor Executivo da Thomas Case.

Síndrome pós-férias
Mas se a tristeza pelo retorno ao trabalho não passar em 15 dias, é bom ficar atento: talvez você esteja sofrendo da chamada depressão pós-férias, também conhecida como síndrome pós-férias.

“Muitos profissionais voltam receosos de perder seu emprego. Eles acham que vão ser demitidos à qualquer momento simplesmente por terem se ausentado da empresa”, explica Raffa, que lembrou que segundo um estudo da Isma (International Stress Management Association), 23% dos brasileiros sofrem deste problema.

“É comum que um profissional substituído ache que outra pessoa seja melhor que ele. Contudo, ele precisa ter segurança. Um bom gestor precisa confiar no próprio trabalho e no trabalho de sua equipe”, diz Raffa.