Você sabe para quem contar sua idéia para que vire realidade?

Primeiro passo é não espalhar e ficar longe de fofoqueiros; respeite hierarquias e fuja de pessoas com certos "perfis"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Imagine que você, “criativo” e inovador, teve idéia de lançar um novo produto no mercado. Depois de dias na elaboração, se depara com um grande problema: a quem contar sobre a novidade para que ela vire realidade?

Escolher as pessoas certas, além dos familiares, para revelar, é de grande importância. Quem poderá lhe ajudar? Esta é a primeira pergunta que deve se fazer! A quem é obrigado a dizer? Nunca esqueça que existe uma hierarquia nas empresas, e que deve respeitá-la.

Não saia espalhando

Uma atitude equivocada, neste caso, é sair contando para todo mundo. Enquanto a idéia não estiver consolidada em sua cabeça, é melhor esperar para lança-lá. Além disso, se estas pessoas não puderem ajudar, é melhor esperar para que esteja tudo fechado e, aí sim, dizer que a idéia foi sua com o maior orgulho.

PUBLICIDADE

Imagine dar o azar de contar justamente para alguém de má-fé. Com isso, a idéia pode chegar à concorrência e, então, seu grande plano acaba fracassando sem, ao menos, ter sido lançado. Passe longe dos fofoqueiros em situações como esta.

Evite algumas personalidades

“Fraudadores”: estas pessoas podem roubar sua idéia. Para identificá-las, basta controlar o impulso e a empolgação e ver se elas têm algum interesse em seu projeto novo. O colega poderia se sentir mal porque não teve a idéia antes? Este é o critério básico para notar um fraudador em potencial.

De nada adianta falar com um “pessimista”. Esses colegas sempre terão uma visão negativa sobre as coisas relativas ao trabalho. Pode ser que o problema não seja seu projeto, mas o modo como ele enxerga o mundo. O mesmo acontece com o “otimista”, que pode não ver os obstáculos a serem enfrentados.

Os “engraçadinhos” podem desmerecer seu trabalho. Por isso, eles não são os mais indicados. Ainda podem não levar a sério a proposta.

Quem procurar?

Tente identificar um cúmplice e um “advogado do diabo”. O primeiro tem como principal característica ser um “torcedor”, além de poder lhe indicar o melhor caminho. Além disso, poderá mostrar quais pessoas transformarão a idéia em realidade: as que darão suporte financeiro, suarão e pensarão junto com você.

Já o outro terá a função de colocar “seus pés no chão”. Enquanto sonha com o sucesso de um novo projeto, ele lhe indicará quais os possíveis erros e obstáculos a serem percorridos.