Você é um bom ouvinte? Característica é fundamental no ambiente de trabalho!

Isso porque ser um bom ouvinte garante uma comunicação bem-sucedida, algo que afeta diretamente o seu trabalho

SÃO PAULO – Quem nunca passou pela seguinte situação: em uma dinâmica em grupo, ficou tão apreensivo com o que teria que dizer sobre si mesmo que nem prestou atenção ao que os demais colegas disseram sobre eles? Pois saiba que ser um mau ouvinte não é um problema só seu. Muitos profissionais do mercado de trabalho agem desta maneira.

A atitude pode prejudicá-lo no mundo corporativo, uma vez que a comunicação feita de maneira eficiente é essencial para o desenvolvimento das atividades no trabalho. “Comunicar com assertividade é a base das relações bem-sucedidas, algo que deve ser observado no cotidiano”, afirmou a consultora de carreira Suyen Miranda.

“Pense o quanto é complicado viver num ambiente no qual você não consegue ser efetivamente compreendido. Agora, pense em viver num local onde todos compreender o seu sistema de símbolos. Muito mais fácil”, disse a consultora, ressaltando a importância de uma comunicação clara, com bons ouvintes.

O que impede as pessoas de ouvirem?

PUBLICIDADE

O Prof. Menegatti, autor do livro “Talento é fazer coisas comuns de forma extraordinária”, da editora Impetus, pesquisou o que impede um profissional de ouvir os demais. A conclusão foi: ele está esperando para falar, está cansado ou com pressa, está pensando em outro assunto ou pensa que sabe o que o outro vai dizer.

De acordo com ele, a grande falha para as pessoas não se tornarem boas ouvintes vem do ensino escolar, que enfatiza o aprendizado da leitura e da escrita. “O treinamento para ouvir vinha por forma de advertência. Ingressamos no mercado de trabalho lendo, escrevendo bem, sendo que a necessidade do mercado hoje é três vezes maior de bons ouvintes do que de bons escritores ou leitores”, diz Menegatti no livro.

Dada a importância de aprender a ouvir, o professor indica algumas técnicas para ser um bom ouvinte:

  • Manter um bom contato visual, acenando com a cabeça sempre que possível;
  • Prestar atenção não só ao que é dito, mas também em como é dito;
  • Interpretar o que as mensagens não verbais querem dizer;
  • Fazer um resumo do que ouvimos, para checar se entendeu a mensagem corretamente.