Vida profissional: tomar decisões vai além de escolha entre alternativas

De acordo com consultor, processo começa com a identificação do problema e os critérios de decisão

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O processo de decisão é muito mais do que uma simples escolha entre alternativas. Segundo o consultor em desenvolvimento organizacional do IDORT-SP, Carlos Alberto Pescada, muito mais complexo, esse processo pode ser dividido em etapas, que começam com a identificação do problema e os critérios de decisão.

“Depois, é necessário desenvolver, analisar e selecionar uma alternativa que pode resolver o problema. Em seguida, implementar a alternativa e, por fim, fazer uma avaliação da eficácia da decisão”. A metodologia a ser usada no processo de decisão pode ser considerada tanto para a vida pessoal quanto para a profissional.

Existe realmente um problema?

Antes de enlouquecer por causa de uma determinada situação, é preciso identificar onde está o problema. “Deve-se fazer uma comparação entre o estado atual e algum padrão – que pode ser o desempenho anterior, decisões tomadas por outras áreas da organização ou fora dela – para fato semelhante”.

Aprenda a investir na bolsa

Identifique se há pressão com relação a prazos, expectativas da diretoria ou financeira. Busque critérios de avaliação e o peso de cada um deles. “Eles devem sofrer uma classificação de importância. A sugestão é atribuir peso 10 para o critério mais importante e, então, determinar os pesos dos restantes de acordo com este padrão”.

Como desenvolver alternativas?

Na resposta para essa pergunta, Pescada disse que o profissional deve listar somente as viáveis, sem fazer nenhum tipo de avaliação. Na etapa de análise de cada uma delas, pontos fortes e fracos se tornam evidentes quando usados os critérios pré-estabelecidos. A melhor nota final indica a tomada de decisão.

“A implementação da alternativa mais viável requer um passo importante, pois é o momento de colocar a decisão em prática. Esse processo inclui transmitir a decisão a todos os afetados por ela e também buscar o comprometimento dos envolvidos nela”, afirmou.

Se, mesmo depois de tudo isso, você não conseguir ter sucesso, o melhor é retornar todo o processo e analisar onde foi que errou!